Lançamento “Do Outro Lado do Atlântico” no Rio de Janeiro

Documentário Premiado e Exibido em Diversos Festivais no Cineclube Edt. O filme segue em cartaz na Cinemateca do Museu de Arte Moderna até o dia 3 setembro, com sessões nos dias 29 às 16:00hrs, 30, 31 e 1 às 18:30hrs, 2 e 3 às 16:00hrs. R$8.00 inteira / R$4.00 meia

 

Foto: Reprodução Facebook

 

Depois de Berlim, Nova Iorque, Lisboa, Habana, Triestre, Lagos, Maputo, Praia, Fortaleza, São Paulo, Salvador, João Pessoa, Belém, estreia dia 28 de agosto no Rio de Janeiro, com sessão especial aberta e gratuita ao público às 19hrs, seguida de debate com o diretor, mediada por Natara Ney, da Associação de Profissionais de Edição Audiovisual EDT, na Cinemateca do Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro. Com direção Daniele Ellery e Márcio Câmara, montagem Joana Collier, classificação livre e 90mins de duração.

Filmado em Redenção (interior do Ceará), Fortaleza, Rio de Janeiro, e em três ilhas de Cabo Verde (Santiago, São Vicente e Santo Antão), o documentário aborda as diversas percepções sobre identidades e culturas de estudantes africanos de países de língua oficial portuguesa que estudam ou estudaram em universidades brasileiras.  Dos dois lados do Atlântico, histórias de partidas, permanências e regressos são contadas, encontros e desencontros de ideias, percursos, desejos e sonhos.

 

“Do Outro Lado do Atlântico, é um filme leve que toca em feridas históricas, sem problematizar demais, ciente de que é mais valioso mostrar como os estrangeiros se integram ao nosso país e (re)constroem suas vidas”, Diego Benevides / Aceccine

 

Do Outro Lado do Atlântico trata da ponte entre Brasil e África por meio das histórias de vida de estudantes de países africanos de língua oficial portuguesa que estudam ou estudaram em universidades brasileiras. As trocas culturais, os imaginários e espelhamentos criados nos dois lados do Atlântico revelam temas que projetam um olhar para o passado, presente e futuro das relações entre o Brasil e os cinco países africanos representados pelos estudantes no filme – Guiné-Bissau, Cabo Verde, Moçambique, Angola e São Tomé e Príncipe –, além do Timor Leste. 

Dos temas tratados, o filme destaca o impacto que a formação superior desses estudantes no Brasil representa para a realidade dos seus países de origem, ao levarem tanto os conhecimentos acadêmicos aqui adquiridos, quanto as suas experiências de vida, expressando ainda as diversas formas que suas identidades são afetadas pela questão racial, ao passarem a viver em um país predominantemente negro e mestiço, embora marcado por grandes desigualdades, negação de sua negritude e forte discriminação racial e social.

 

O filme também está disponível para qualquer pessoa e/ou instituição que queira organizar uma exibição coletiva em seu espaço, por meio da plataforma de distribuição alternativa Taturana Mobilização Social: www.taturanamobi.com.br

 

Basta se cadastrar e agendar a sessão.

 

A Taturana é um negócio social que atua pela democratização do acesso ao cinema brasileiro, por meio de circuitos alternativos de exibição de filmes com mobilização social e fomento ao diálogo sobre temas sociais relevantes. A #RedeDeExibidoresTaturana é composta por escolas, coletivos, universidades, centros culturais, organizações sociais, cineclubes e outros equipamentos afins.

 

 

SERVIÇO: 

Data: 28/08, segunda

Horário: 19h00 

Local: Cinemateca do MaM, no Rio de Janeiro

 

Estreia especial aberta e gratuita, seguido de debate com o diretor e a montadora Natara Ney da Associação de Profissionais de Edição Audiovisual EDT.

 

Mais informações sobre o filme: www.facebook.com/dooutroladodoatlantico/

 

FICHA TÉCNICA:

 

DIREÇÃO E ROTEIRO – Daniele Ellery e Márcio Câmara

PRODUÇÃO – Allan Deberton

PESQUISA – Daniele Ellery

FOTOGRAFIA – Daniel Donato e Roberto Iuri

SOM DIRETO – Márcio Câmara

MONTAGEM – Joana Collier

MIXAGEM – Alexandre Jardim

COLOR E DCP – Glauco Guigon

Formato: DCP | Duração: 90 minutos  | Classificação: Livre

 

 

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: