Sorriso Maroto: Projeto “Ao Cubo, Ao Vivo, Em Cores” apresentado no YouTube Space Rio já é sucesso no Brasil

O Sorriso Maroto lançou todas as músicas e vídeos do projeto “Ao Cubo, Ao Vivo, Em Cores” canções como “50 Vezes”, que traz a participação de Dilsinho,Me Arrependi” com a  participação de Ferrugem, e “Maior Barato” onde mostra a visão de um pai durante a gravidez da mulher, entre outras, que já estão na boca dos fãs

 

Foto: Edna Rocha

Quando você vai bater um papo com os componentes de um dos grupos de pagode mais querido do Brasil, não imaginava que poderia ser uma tarde maravilhosa e ainda iria se deliciar com um show TOP. Assim, foi a tarde do dia 08 de abril, no YouTube Space, zona Central do Rio de Janeiro, quando, o grupo Sorriso Maroto reuniu alguns fãs e a imprensa para promover o lançamento do projeto “Ao Cubo, Ao Vivo, Em Cores”.

O Sorriso Maroto, que é composto por Bruno Cardoso, Cris Oliveira, Sérgio Jr., Fred Araújo e Vinícius Augusto, inovou ao gravar o projeto “Ao Cubo, Ao Vivo, Em Cores”, com as músicas em todas as plataformas digitais. Os pagodeiros trouxeram um cenário em formato de cubo com painéis de luzes coloridas, o grupo, posicionado ao centro sob um pequeno palco quadrado, se apresentou para uma plateia de 300 fãs – tudo isso registrado por aparelhos celulares que transitavam pelo cenário. Eles ainda contaram com a presença de nomes como Dilsinho e Ferrugem no novo trabalho.

Foto: Edna Rocha

Os artistas da atualidade, estão se conectando cada vez mais com o público, pois a internet é uma plataforma dinâmica, e é preciso criar situações para que ela seja convidativa e atrativa ao público. Por esse motivo, o grupo procurou, juntamente com a Sony, criar estratégias num formato que conseguissem atrair a atenção das pessoas, ainda mais por ser um novo projeto. E em pouco tempo, devido a estratégia adotada, o projeto já tem dado resultado. Eles contaram, que na primeira semana, já tinham conseguido alcançar um bom resultado com a música “50 Vezes”, que esteve entre as 200 mais e as outras canções já estão ganhando relevância a todo momento. E que pretendem continuar gerando e criando conteúdos para que possam alcançar o público para dentros das plataformas.

 

Presentearam os fãs que vivem o dia a dia do Sorriso com um show para 300 pessoas

 

Foto: Edna Rocha

Quando se apresentaram para uma plateia de 300 pessoas, Bruno contou que foi uma forma de presentear o público. O grupo já fez show para uma plateia composta por mais 300 mil pessoas, mas o motivo desse show para os 300 fãs, era maior. Eles queriam estar com os fãs, e esse show, de alguma forma, tinha um significado diferente, pois eram os fãs que viviam o dia a dia do Sorriso. Bruno contou que para ele, esse show tinha um significado muito especial, por conta da sua ausência no Sorriso, por motivos de saúde, no ano passado.  Ele contou que tiveram muito carinho dos fãs e das pessoas que curtem o trabalho deles.

 

“E essa foi a forma de presentear a pessoas que curtem nosso trabalho, principalmente os que viveram esse período junto com o Sorriso. Enviando energias para mim e curtindo o Sorriso sem a minha presença nos shows, então, vimos que o FÃ é nosso BEM MAIOR, Nosso alicerce. Então a gente queria de alguma forma presentear, em especial, essas pessoas e não desmerecendo as outras que curtem o Sorriso Maroto”, agradeceu Bruno.

 

Por conta do espaço limitado, eles tiveram que contabilizar um número de 300 pessoas, então, escolheram os fãs que de alguma forma estão mais ligados ao trabalho do Sorriso, mas isso não mede a quantidade de fãs e nem o carinho que sentem por todos. E o show acabou indo como queriam, as pessoas vibraram, cantaram e trocaram energias, pois eles queria fazer deste trabalho, talvez o maior trabalho já registrado até hoje, principalmente por todos esses motivos.

Durante o período ausente do Sorriso, Bruno sentiu falta de cantar, mas sabia que o grupo estava em boas mãos com Thiago Martins no vocal

 

Bruno
Foto: Edna Rocha

 

O vocalista do Sorriso Maroto, contou que nesse período que estava fora, sentiu muita falta de cantar. Ele disse que foi privado de exercer sua função, de fazer o que sabe fazer de melhor e já faz há 21 anos. Então, a impossibilidade de seguir era o que mais o incomodava, era o que mais o deixava agoniado, triste, o fato de não poder fazer tudo que mais amava.

 

 

 

 

““você não pode fazer isso.” Mas por que? “Você não pode!”. Tudo isso foi muito difícil de encaixar na minha cabeça, de aceitar que eu precisava seguir um tratamento para logo retornar aos palcos. O mais legal disso tudo, foi quando eu vi que o Sorriso Maroto estava em boas mãos. Vi que o Thiago Martins, estava fazendo a função da voz do Sorriso, junto com tantos outros amigos e os fãs, aquilo me deu total segurança. Falei, “não”, é isso, está em boas mãos, “vai rolar!””. Bruno, que ainda resumiu dizendo que os parceiros falavam para ele ficar tranquilinho fazendo o dele, que eles iriam seguir.

 

Então, ele entendeu que o Sorriso, naquele momento, estava indo e dando certo. Os parceiros tinham encaixado e iam seguir com o Thiago, e ele iria fazer o tratamento para voltar logo.

 

Ausência do Bruno foi um dos momentos mais difíceis da carreira do Sorriso

 

Cris Oliveira
Foto: Edna Rocha

Cris Oliveira, disse que a ausência do Bruno em 2018 foi um dos momentos mais difíceis da carreira do Sorriso. Ele explicou que estava falando por todos do grupo, pois o Bruno é o porta voz da banda. Cris falou que já é difícil ficar sem qualquer um do grupo, e ficar sem o vocalista é mais difícil ainda,  por mais que possam seguir com outra pessoa, é mais complicado. Ele ainda disse que o vocalista é o porta voz e quem manda mensagem para o público, e, é quem as pessoas associam a voz ao trabalho. E que foi o momento mais delicado e que tentavam decidir, na verdade, ficaram em dúvidas se era melhor esperar o Bruno voltar ou seguir. Eles não sabiam como iria ser, pois nunca tinham ficado sem ele.

 

“Foi uma decisão dificílima de tomar, a gente nunca tinha ficado sem ele, a gente resolveu junto”, concluiu Cris.

 

 

Sérgio Jr.
Foto: Edna Rocha

 

Eles contaram que resolveram tudo junto. Sérgio disse que o Bruno não ficou de fora, e, esteve dentro o tempo inteiro. Explicou que eles resolveram tudo junto, como já tinham combinado com o Bruno, chegaram a conclusão de que deveriam continuar, pois o tratamento do Bruno, a princípio iria levar quase um ano, a previsão de volta do Bruno era dezembro.

 

“A gente estava conversando sobre isso em março/18, e afastar o Sorriso de todo o cenário durante esse tempo todo poderia ser fatal, quando ele tivesse podendo voltar e iria prejudicar todos no entorno, muita gente envolvida com a banda contratos e compromisso”, resumiu Sérgio.

 

 

 

Após tantas decisões, tiveram a ideia de criar “Todos Cantam Sorriso”, foi quando o Thiago Martins ancorou e eles receberam os amigos que faziam o show com eles. Amigos que iam nos locais e cantavam com eles, como se todos fossem a voz do Bruno, naquele momento. Essa foi uma forma de seguir com a banda, uma melhor maneira do Bruno poder se recuperar tranquilo, pois ele ficou agoniado. Sérgio ainda contou que o Bruno tinha dito que ia parar tudo.

 

“O cara já estava com problema no coração ainda iria se sentir culpado, tipo “Eu parei tudo!”. E a gente conseguiu, foi uma prova de amizade, de amor, agora,  no nosso íntimo, no íntimo de nós quatro, primeiro foi uma dor tremenda”, resumiu Sérgio.

 

Sérgio, Cris, Vinícius e Fred sentiram a voz embargada no primeiro show sem o Bruno, mas se firmaram uns nos outros e deu tudo certo

 

Foto: Edna Rocha

 

Os componentes do Sorriso, Sérgio Jr., Cris Oliveira, Vinícius Augusto e Fred Araújo, contaram que no primeiro show sentiram a voz embargada do início ao fim, que em 20 anos, nunca tinham subido ao palco sem o Bruno ao lado. E foi muito difícil, quando se viram no palco, e o líder não estava ali, pois ele não era só um cantor, era um irmão. E nessa época, o Bruno nem estava em casa, estava no hospital, internado.

 

 

“A gente não falava pra ele, mas a dor que a gente sentia era muito grande. A insegurança dele não estar ali dava, mas a gente se apoiou no que construímos junto, concluiu Sérgio.

 

 

Sorriso Maroto contou com Dilsinho e Ferrugem como vozes do Grupo na ausência de Bruno e que ter eles no novo projeto foi uma parceria que deu certo

 

Fred Araújo
Foto: Edna Rocha

A banda, que já lançou todas as músicas do projeto “Ao Cubo, Ao Vivo, Em Cores” nas plataformas digitais, tiveram destaque na canção “50 Vezes”, que conta com a participação do cantor Dilsinho e muitos fãs já estão se relacionando, se vendo na letra da canção, quando se sente falta de um amor. A ideia de cantar com Dilsinho, com quem Bruno já tem relação de anos, ainda mais por ser produtor dos discos dele e o viu ele crescer, além de participar deste crescimento, foi uma forma de agradecer pela parceria em sua ausência.

A afinidade com Dilsinho que já vem de outros tempos e que todos gostam muito dele, um irmão. Estavam ensaiando essa parceria faz tempo, já que tinham contado com Dilsinho no disco passado, antes desse DVD, ainda gravaram no DVD dele, então, entenderam que essa seria a hora do Dilsinho participar do trabalho deles. Bruno ainda disse que o disco tem toda uma amarração sentimental, porque o Dilsinho também foi uma das vozes do Sorriso, no período de sua ausência, e o Ferrugem também foi. E eles queriam, de alguma forma, ter essas pessoas dentro do novo trabalho e para representar um pouco da amizade, de trazer um pouco desse sentimento de gratidão para dentro dele.

 

“Então, a gente trouxe o Dilsinho e o Ferrugem para simbolizar todos esses amigos, tivemos outros amigos que fizeram parte desse movimento, mas como não dá pra fazer um “Sorriso Convida”, isso mais pra frente. No momento, seria uma hora pro Sorriso, cantar umas músicas do Sorriso Maroto. O projeto, como um todo, era trazer novas composições, eu aproveitei esse momento parado para compor, eu acabei ocupando a mente dessa forma. Então, a gente queria mostrar as composições novas e um pouco dessas parceria, dessa amizade nossa, resumiu Bruno.

 

Foto: Edna Rocha

O vocalista ainda contou que os fãs aprovaram a parceria e que tanto as músicas do disco Dilsinho e quanto as deles, são pedidas no Brasil afora. Ele resumiu dizendo que foi uma parceria que deu certo.

Sérgio contou que o Ferrugem, que participa na música “Me Arrependi”, quando terminou de cantar com eles, na gravação, disse que nasceu e cresceu ouvindo Sorriso Maroto. E, que comprou o disco do Sorriso Maroto, e quis ser um Sorriso Maroto, e, para ele, era uma alegria estar no palco com o Sorriso.

 

 

“Maior Barato”, música que mostra a visão de um pai durante a gravidez da mulher, foi a primeira canção a ser primeira a ser escolhida para fazer parte do projeto

 

Foto: Edna Rocha

 

A música “Maior Barato” traz um tema pouco abordado, a visão de um pai durante a gravidez da mulher. Bruno recebeu a canção de dois autores que são Miltinho e Bruno Gabriel, mesmo sendo parceiro na música, o tema não foi sugerido por ele. O vocalista contou que a música já chegou pronta e com o tema pronto, o Bruno Gabriel estava com a esposa grávida e Miltinho já tinha passado por essa experiência, na verdade, acabaram juntando um pouco de tudo.

 

 

“O Bruno estava reformando o quarto do bebê. Quando recebi a música, ela não estava 100% acabada, e eu fui fazendo a minha parte, passei a tinta. Ele estava reformando o quarto e eu fui decorando, comprei abajur, comprei o carrinho, botei a plaquinha na porta, dei as últimas partes de acabamento”, resumiu o vocalista do Sorriso.

 

 

Quando Bruno recebeu o tema, sentiu a canção de uma uma forma diferente. Ele observou a música, talvez por estar com a cabeça mais fresca, observou cada detalhe que faltava para a canção ser 100 % entendida pelas pessoas. O líder do grupo disse, que em sua cabeça estava faltando algumas coisas na música e ele foi ajeitando. E que os compositores Bruno e Miltinho falaram que já tinham enviado numa sensação de que ainda precisava terminar, eles chegaram num acordo e a música ficou linda.

 

Foto: Edna Rocha

 

“Na verdade, a gente queria presentear as pessoas, com esse momento. A gente fala muito de amor, procura sempre tentar falar sobre relacionamentos, e entendemos, que para o Sorriso Maroto, era interessante falar sobre outro tipo de amor”, finalizou Bruno.

 

 

 

 

O diferencial da canção “Maior Barato” é  a ótica do pai para o filho que vai nascer

 

Foto: Edna Rocha

 

Sérgio concluiu dizendo que a canção é pela ótica do pai, pois geralmente as músicas do dia das mães são a ótica da mãe e do filho para mãe. Ele explicou que essa não, é a ótica do pai para o filho que vai nascer. E é difícil se ver isso e esse carinho mexeu com todos eles.

 

 

 

“Como no grupo, quase todos já são pais, ficaram tocados e se sentiram representados pela canção, que foi a primeira a ser escolhida para fazer parte do projeto. Foram pegos pelo coração, pois é narrado tudo que já sentiram e tem uma mensagem completamente diferente das outras”, resumiu Sérgio.

 

 

Bruno, Sérgio, Cris, Vinícius e Fred se sentem gratos por tudo que já aconteceu em suas vidas, felizes por estarem no caminho, que continuem sentindo prazer com os desafios e alegria por estarem juntos

 

Vinícius Augusto
Foto: Edna Rocha

 

O componentes do Sorriso disseram que já podem se considerar gratos por atravessar tanto tempo de estrada e que já fizeram de tudo um pouco. Eles contaram que de vez em quando, refletem na estrada, ficam olhando para tudo que já fizeram e isso é gratificante. Ainda explicaram que na verdade, não é o que querem, é o que já fizeram. Se sentem abençoados, e estão seguindo os planos de Deus para eles.

 

 

 

“Já fomos muito mais agraciados do que imaginávamos. Tudo que vier a nossa frente, a gente agradece, se vier a dificuldade, que ultrapassemos a dificuldade, faz parte, como a do ano de 2018, atravessamos essa e bola pra frente”, concluiu Bruno.

 

Foto: Edna Rocha

 

Cris ainda completou dizendo que não é aonde querem chegar, é aonde já chegaram. Estão num lugar, muito mais do que imaginavam e puderam imaginar um dia. Sérgio ainda resumiu dizendo que se tivesse que falar aonde ele quer chegar, apenas diria que só queria seguir. E que às vezes, o prazer de estar no caminho, é melhor do que estar no destino. E seguir bem.

 

 

 

“Meu desejo é que a gente siga fazendo música, se emocionando com os discos e com as coisas novas. Quando a gente se desafia a um show novo, como estamos fazendo agora, e que isso continue nos dando o prazer, alegria de estar junto. Se a gente seguir assim está bom, Deus vai provendo pelo percurso”, Sérgio.

 

 

 

Revista InFoco

Revista In Foco. Uma revista que vai te deixar informado sobre tudo que esta acontecendo na cidade do Rio de Janeiro.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: