Mostra de filmes e palestras sobre quilombos e comunidades negras latino-americanas

La voz de los sin voz, Tocaña
Foto: Divulgação

Nos dias 21 e 22 de Novembro, às19h, o Instituto Cervantes Brasília, promove uma série de atividades gratuitas que inclui palestras e mostras de filmes com a temática sobre consciência negra, com a participação de importantes nomes de Brasília na luta pela resistência negra. Larissa Ferreira, Doutora em Artes pela Universidade de Brasília, é a curadora do evento, que ainda conta com palestras de Bárbara Oliveira Souza (Doutora em Antropologia pela Universidade de Brasília), Givania Maria da Silva (Educadora quilombola, graduada em Letras e especialista em Programação de Ensino e Desenvolvimento Local Sustentável), Leandro Bulhões (Licenciado em História pela Universidade do Estado da Bahia (UNEB/2006)) e Pablo Lucena (professor da Faculdade de Comunicação da Universidade de Brasília, UnB).

A fim de pautar as questões sobre memória e contemporaneidade quilombola na América Latina durante a Semana de Consciência Negra, o Instituto Cervantes e o Grupo de Pesquisa e Estudos Culturais Afro-ameríndios (Instituto Federal de Brasília -IFB) apresentam a mostra cinematográfica e ciclo de palestras “Re-existências Afro-Ameríndias”, com curadoria de Larissa Ferreira, coordenadora de Cultura, Raça, Gênero e Estudos Afro-Brasileiros do IFB (Diretora de Pós-Graduação, Pesquisa, Inovação e Extensão).

A mostra de vídeos tem como temática quilombos, palenques e comunidades rurais negras latino-americanas e completa-se com um ciclo de palestras sobre esse universo.  Nos filmes que serão exibidos, um convite para refletir sobre a política de dominação e opressão dos povos negros e indígenas na América Latina. As comunidades negras e afrodescendentes do Rio dos Macacos (Brasil), Tocaña (Bolívia) e Santiago Del Estereo (Argentina) somam suas vozes a outras tantas comunidades quilombolas e palenqueras latino-americanas, que clamam juntas a urgência em viver, existir e resistir. Do direito à terra à permanência dos seus saberes ancestrais, evidencia-se o estado permanente do re-existir na urgência de preservar e reconstruir sua cultura.

 

Programação

21|11

 

19h00 – Ciclo de Palestra

Educação escolar Quilombola: um ensaio decolonial (Givânia Maria da Silva);

Quilombos, palenques, cimarrones e a resistência negra (Barbara Oliveira Souza).

 

 

20h00 – Mostra de filme

Lançamento do longa Quilombo Rio dos Macacos, o filme (Direção: Josias Pires/ Documental / Brasil / 2017 / 120”)

Filme documentário de longa-metragem sobre comunidade quilombola Rio dos Macacos e a luta pela garantia da propriedade da terra de uso tradicional, reivindicada pela Marinha do Brasil, localizada entre os municípios de Salvador e Simões Filho (BA). Além de denunciar graves violações de direitos humanos – direito de ir e vir e de acesso à água, saúde, educação, moradia e trabalho – o filme registra, inclusive com imagens produzidas no calor da hora pelos próprios quilombolas, conflitos e negociações visando a solução dos problemas; documenta aspectos culturais, simbólicos e características do território, como paisagens e lugares; registra memórias individuais e coletivas, traçando amplo painel de caráter etnográfico.

 

 

22|11

19h00 – Ciclo de Palestra

 

Comunidades rurais negras na Améfrica: memória e soberania intelectual (Leandro Bulhões); Cor e resistência diante da tela branca (Pablo Lucena).

 

20h00 – Mostra de filme

El último quilombo ( Direção: Alberto Masliah/Documental / Argentina, 2013 / 65”):

Esse filme é uma viagem para descobrir San Félix, um pequeno povoado de Santiago de Estero. Ali, todos os habitantes são descendentes de um casal de escravos nebros alforriados. Hoje, o povo luta para sobreviver.  Junto a seus moradores, conheceremos suas  histórias de vida, que é um pouco da história da argentinidade. Descobrimos sua luta contra a discriminação e o esquecimento. Uma viagem pelo caminho da recuperação da memória negra na Argentina. 

Menção “Melhor Documentário Nacional da XV edição do Festival Internacional de Cinema sobre Direitos Humanos (Buenos Aires- Argentina) e selecionado no XXVII FEtival de Cine Latino de Trieste (Itália)

 

La voz de los sin voz, Tocaña (Direção: Marcel Cluzet/Documental / Bolivia/ 2009 / 59”)

Na comunidade de Tocaña, nas Yucas Bolivianas, dia a dia se reafirma a identidade afroboliviana de seus habitantes. Cantando e dançando, criam espaço para a memória coletiva de suas origens e da chegada de seus antepassados na América como escravos.  Filme realizado pela LumaDoc pelo programa “A voz dos sem vozes”, da UNESCO.

 

 

 

Serviço

“Re-existências Afro-Ameríndias”

Mostra de filmes e palestras sobre quilombos e comunidades negras latino-americanas

Dias 21 e 22 de novembro, às 19h

Entrada franca

Local: Auditório do Instituto Cervantes de Brasília
Endereço: SEPS 707/907 Lote D
Telefone: 3242-0603
C.I.: Livre
brasilia.cervantes.es

 

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: