Caminhos da Reportagem acompanha a realidade de refugiados venezuelanos no Brasil

Matéria especial destaca que estrangeiros do país vizinho procuram horizonte de vida aqui

 

Foto: Divulgação

O programa Caminhos da Reportagem inédito desta quinta (15), às 22h, na TV Brasil, vai até a com a Venezuela para conhecer histórias de pessoas que estão migrando para o Brasil em busca de alimentos, empregos e melhores condições de vida.

Dados do Departamento de Migrações do Ministério da Justiça mostram que as solicitações de refúgio de venezuelanos no Brasil passaram de 209 em 2014 para 3.971 este ano. Há mais de 8 mil solicitações de refúgio protocoladas e em torno de 4 mil agendadas na Polícia Federal de Boa Vista, em Roraima. Especialistas afirmam que mais de 1 milhão de pessoas deixaram a Venezuela e cerca de 30 a 40 mil delas vieram para o Brasil.

A equipe de reportagem da TV Brasil visita Pacaraima, pequeno município de Roraima que faz fronteira com a Venezuela, e segue o mesmo percurso de muitos venezuelanos, até Boa Vista, capital do estado. A Venezuela, segundo explica o professor de Relações Internacionais da Universidade Federal do ABC Igor Fuser, vive uma situação de pré-guerra civil, com uma polarização extrema que dá margem a atos de violência.

“Somos venezuelanos e, além disso, somos seres humanos. Estamos tirando a nossa família para poder comer, seguir em frente”, diz Elisbe Parma, entrevistada pelo programa em Pacaraima, quando tentava seguir caminho até Boa Vista.

Na mesma região, a equipe conhece venezuelanos que vêm ao Brasil comprar alimentos e produtos de higiene pessoal, pois o acesso a esses produtos na Venezuela tem sido bem complicado. A atração jornística entrevista dois amigos que moram em Santa Elena e cruzaram a fronteira na tentativa de se comunicar com parentes que ainda residem na Venezuela.

Em Pacaraima e em Boa Vista, o Caminhos da Reportagem encontrou também indígenas da etnia Warao, que buscam no Brasil uma nova chance de vida. A produção visita um abrigo na capital de Roraima onde estão vivendo 250 venezuelanos. Cerca de 70% deles são natuais de povos indígenas.

Em Boa Vista, muitas mulheres venezuelanas buscam o sistema público de saúde do Brasil para terem seus bebês. Esse fluxo de venezuelanos, de acordo com o professor de Relações Internacionais João Carlos Jarochinski, da Universidade Federal de Roraima, traz consequências para a região Norte do Brasil. “Causa um impacto porque a gente é uma região de baixa densidade demográfica onde a presença do Estado não é tão efetiva quanto em outras regiões do Brasil”.

 

Serviço:

Caminhos da Reportagem – quinta-feira (15), às 22h00, na TV Brasil.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: