Estúdio Móvel analisa o teatro de bonecos e a animação no cinema nesta terça (25)

Liliane Reis recebe profissionais que dão vida a personagens por meio de sua atuação

 

Miguel Vellinho Liliane, Reis e Liliane Xavier Foto: Kamyla Abreu
Miguel Vellinho Liliane, Reis e Liliane Xavier
Foto: Kamyla Abreu

O programa Estúdio Móvel mergulha no universo da manipulação de bonecos nos palcos do teatro e da animação em stop motion nas telonas do cinema nesta terça (25), às 18h30, na TV Brasil. Para investigar esse trabalho, a apresentadora Liliane Reis entrevista integrantes da Cia PeQuod e traz um bate-papo com o cineasta César Cabral.

Para os convidados, atuação e a direção não se limitam a trabalhar apenas com um corpo humano. Na sétima arte, é possível utilizar bonecos no caso da animação em stop motion. Já nos palcos, o teatro também emprega bonecos que entram em cena e animam a história. Os três destacam a importância da criatividade para um bom resultado.

Idealizador da Cia PeQuod, fundada em 1999, o diretor Miguel Vellinho participa do debate como a atriz e bonequeira Liliane Xavier. Eles contam que através do caráter artesanal da confecção dos bonecos, figurinos e cenários, a Cia Pequod faz um entrelaçamento de tradição e cultura pop contemporânea.

A dupla conta a diferença ao lidar com a manipulação de bonecos em cena. Miguel Vellinho e Liliane Xavier abordam a rotina de preparação do ator que está por trás de um boneco em um espetáculo. Um dos diferenciais da Cia PeQuod é a perspectiva artesanal da confecção dos elementos cênicos que são a base do trabalho desde o início da trupe.

A inquietação artística da equipe de profissionais também é uma das características da companhia teatral. A PeQuodrealizou várias montagens que buscavam conjugar coragem, ousadia e profundo detalhamento artístico. A propostd das apresentações do grupo é refazer os limites do seu teatro aproximando-se de outras manifestações artísticas, como a dança, a literatura, os quadrinhos, o cinema, a fotografia.

Cesar Cabral Foto: Divulgação
Cesar Cabral
Foto: Divulgação

Na entrevista para o Estúdio Móvel, o diretor de animação César Cabral desvenda o processo de direção de um curta-metragem com a técnica de stop motion. O cineasta é responsável pelo premiado e hilariante curta “Dossiê Rê Bordosa” e pelo melancólico “Tempestade”. Ele enumera os desafios da carreira como animador e explica a dinâmica da produção de um filme de animação utilizando a técnica de stop motion.

 

Serviço

Estúdio Móvel – terça-feira (25), às 18h30, na TV Brasil

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.