Papais Noéis ocuparam o Maracanã para uma comemoração inusitada

– Evento realizado no dia 26 de outubro marcou a formatura do Curso de Papai Noel do Brasil

– 40 ‘bons velhinhos’ cantaram músicas de Natal, fizeram tour pelo Estádio e posaram para fotos

– Curso de formação é oportunidade de renda extra para idosos neste final de ano

 

Foto: Emilton Rocha

Natal em pleno outubro, e num estádio de futebol? Sim! Um evento inusitado aconteceu no dia 26 de outubro, no Maracanã, em frente a estátua do Bellini: 40 Papais Noéis receberam diploma de formação e qualificação após realizarem curso na tradicional Escola de Papai Noel do Brasil, de Limachem Cherem. Vestidos como manda o figurino natalino, eles cantaram, fizeram tour pelo local e posaram para fotos. 

O momento foi fruto do resultado do empenho de cada aluno para fazer dos eventos natalinos o verdadeiro “Natal do Abraço”. E para a surpresa das pessoas que passavam pelo local, não havia apenas Papais Noéis vestidos com os trajes tradicionais,. o Maracanã recebeu os bons velhinhos com diferentes estilos como, o Papai Noel Surfista, o Papai Noel de Pijama, Papai Noel Atleta, entre outros.

Foto: Emilton Rocha

Isso porque a Escola de Papai Noel acolhe a liberdade criativa e, inclusive, confecciona os figurinos conforme a necessidade e gosto dos alunos. O inusitado evento fez sucesso pelas ruas do bairro e trouxe o clima de Natal para os funcionários do estádio, turistas e moradores da região. Afinal, se os lojistas já começaram a se preparar para as festas de final de ano, não seria diferente com o Papai Noel.

 

Curso de formação aconteceu em outubro

Foto: Emilton Rocha

Com mais de 100 inscritos no curso preparatório realizado neste mês de outubro, a Escola de Papai Noel selecionou 40 candidatos, por meio de entrevista e análise de perfil, para a vaga no curso de Papai Noel.

Com 29 anos de atuação no segmento, a famosa escola é uma referência tanto para quem procura um Papai Noel para animar shoppings, eventos corporativos, escolas e festas particulares, como para quem quer aprender a ser a criatura mais amada pela garotada.

Neste ano, o curso aconteceu todas as terças de outubro, no Centro do Rio, e contou com aulas de interpretação, improvisação, música, trabalho corporal, maquiagem e figurinos, oficina de brinquedo e a novidade deste ano: oficina de libras.

Além de novos alunos, a escola recebeu formandos antigos para atualização e, mais do que qualificação, alguns já estão saindo da Escola de Papai Noel com contrato assinado para trabalhar no período de festas natalinas.

Foto: Emilton Rocha

Criador da iniciativa, Limachem Cherem festejou a volta presencial dos eventos natalinos após dois anos de hiato causado pelas restrições sanitárias em função da pandemia de Covid-19.

 

“É maravilhoso! Não pudemos trabalhar com contato direto 2020 e em 2021, porque como trabalhamos com o lúdico e o artístico, sobretudo com idosos e crianças, fomos os primeiros a parar. Dos poucos trabalhos que surgiram, o Papai Noel precisou ficar em uma redoma de vidro, dentro da vitrine, tinha precisou usar máscara. Sem acesso às crianças, muitas se assustavam. Foi desafiador”, relembra Limachem Cherem.

 

Por isso, a chegada extra-oficial dos Papais Noéis ao Maracanã foi tão emblemática.

“Nesse retorno teremos mais liberdade para voltar ao trono do Papai Noel sem uma redoma, de forma mais acolhedora poderemos abraçar, conversar, ouvir os pedidos de presentes. Estávamos sentindo falta disso, do amor, do abraço e da aproximação das pessoas. Será o Natal do Abraço.”, comemora o idealizador do curso.

 

 

Confira as fotos (Créditos: Emilton Rocha)

 

Treinamento incluiu aulas de Linguagem Brasileira de Sinais, a Libras

Foto: Emilton Rocha

O curso de formação da tradicional Escola de Papai Noel, de Limachem Cherem, trouxe uma novidade importante para a inclusão de pessoas com necessidades especiais: todos os Papais Noéis receberam aulas básicas de Linguagem Brasileira de Sinais, a Libras. A preocupação com a inclusão social nasceu quando Cherem teve um aluno indígena no curso.

 

“Estamos atentos às novas linguagens e a todos os processos históricos acerca da história e inclusão social e entramos nisso. Não importa a raça, as crenças, o que importa é honrar a história e o amor do Papai Noel pelas crianças e seus familiares.  Formandos Papais Noeis negros, brancos, índios e até um descendente de japoneses. E todos já trabalharam juntos em shopping. E isso é muito importante para mostrar a nossa preocupação com a representatividade”, afirma Limachem.

 

 

Novos e antigos alunos se juntaram na formação deste ano

Foto: Emilton Rocha

A chegada dos 40 Papais Noéis ao Estádio do Maracanã na quarta, dia 26 de outubro, serviu para mostrar que antigos alunos se juntaram aos novos na temporada de qualificação deste ano. Na proporção de 20 estreantes, para 20 veteranos, a maioria conquistou a oportunidade de ter uma renda extra nas festas natalinas de 2022.

Estreando na função de Papai Noel, João Carlos, de 50 anos, tem experiência com entretenimento e educação infantil desde a época em que trabalhava como inspetor escolar. Ele explica como se interessou em participar do curso.

 

“Depois que deixei minha barba crescer, minha esposa só ficava me chamando de Papai Noel, então, fui pesquisar sobre como ser um Papai Noel e a oportunidade surgiu quando encontrei a escola durante uma busca na internet. Participei de uma entrevista seletiva por videoconferência, fui aprovado e agora receberei meu diploma. O mais interessante é a integração das pessoas e a união entre os colegas. Isso chamou muito a minha atenção, principalmente, o carinho de quem já tem experiência com aqueles que estão começando agora”, destacou.

 

O acolhimento aos novatos é comum, segundo o Papai Noel veterano Carlos Alberto Patrício, que dá vida ao bom velhinho desde 2016. Neste ano voltou à sala de aula para atualizar-se das novidades, especialmente no curso básico de Libras.

 

“Sempre tive medidas plus size, mas em 2015 depois de deixar a barba crescer e ela ficou totalmente branca, um amigo falou que eu estava igual ao Papai Noel e me perguntou o que eu achava ser virar Noel no Natal. Depois de dar uma gargalhada eu parei para refletir sobre o assunto e vi nisso uma oportunidade. Esse amigo é coronel reformado da polícia e abriu portas para que eu me apresentasse em cerimônias natalinas nos quartéis. Neste ano, quis me profissionalizar e descobri a Escola de Papai Noel em uma pesquisa na internet. Estou muito feliz pois saio do curso com um contrato assinado para trabalhar em um shopping em Botafogo”, festeja.

 

Também veterano na carismática função de Papai Noel, o taxista Roberto Rezende de Almeida é um bom velhinho desde 2017.

 

“Sou taxista há 52 anos e eu estava transportando um passageiro quando ele viu minha barba enorme e perguntou porque eu não trabalhava como Papai Noel. O passageiro era proprietário de um hotel na Praça Tiradentes e amigo do Cherem. Fiz a inscrição, fui selecionado e antes da primeira aula eu já estava contratado. Os últimos anos foram difíceis por causa das regras sanitárias de distanciamento. Em 2020, apenas cinco shoppings contrataram o Papai Noel, mesmo assim, trabalhamos em uma redoma de vidro. Nessa época cheguei a fazer uma live para um shopping de Manaus. Para esse ano as expectativas são as melhores possíveis”.

 

Sobre a Escola de Papai Noel do Brasil

Em 29 anos de existência, a Escola de Papai Noel do Brasil já formou mais de 700 bons velhinhos. São pessoas idosas, muitas delas aposentadas ou desempregadas, que aprendem tudo sobre Papai Noel. As aulas – que incluem canto, dicção, interpretação, postura e improvisação – têm por objetivo lapidar o aluno. A turma recebe dicas sobre como lidar com as crianças que, geralmente, têm uma lista enorme de pedidos. Aprendem a falar e andar como Papai Noel e, principalmente, a escapar das perguntas indiscretas da garotada.

 

Sobre a Família Noel

O idealizador da Escola de Papai Noel do Brasil é Limachem Cherem, nome artístico de Sebastião Benedito Cherem, de 66 anos, que é ator, diretor e autor, conhecido como Palhaço Cherem. Foi empresário e parceiro do palhaço Carequinha por 22 anos. A esposa dele é Fátima Cherem, figurinista responsável pela criação dos looks dos bons velhinhos. Uma das filhas, Sluchem, que faz doutorado na UniRio, é produtora, enquanto a outra filha, Slanny, é enfermeira, mas também atua como coordenadora da escola e ajudante de Papai Noel.

Por SG Comunicação

Revista InFoco

Revista In Foco. Uma revista Eletrônica que vai te deixar informado sobre diversos eventos. Fique Ligado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *