Campo de Santana: patos e garças comemoram a revitalização do Lago Principal

Foto: Divulgação Fundação Parques e Jardins FPJ

Não é “conto de Fadas” e nem “história da Carochinha”, nesta sexta, dia 13 de março, graças a um evento literário, foi revigorado o Campo de Santana, um dos cartões postais mais importantes do Rio de Janeiro. Depois de mais de três anos sem água, por conta de infiltrações no piso, o lago principal está cheio novamente, e foi reinaugurado pelo presidente da Fundação Parques e Jardins, Fernando Gonzalez. 

A grande reforma de reparo e impermeabilização do fundo foi financiada pelo LER Salão Carioca do Livro, que teve o parque como um dos palcos de exposição, atraindo mais de 50 mil pessoas no fim do ano passado. E o presidente Fernando Gonzalez, lembrou que a reforma não teve nenhum custo para os cofres públicos.

Foto: Divulgação Fundação Parques e Jardins FPJ

 

“Com essa contrapartida, os animais do Campo de Santana podem finalmente voltar a ocupar seu antigo espaço. O Campo abriga mil cotias, quatrocentos patos, sete pavões e tantas outras  aves migratórias que passam o dia aqui no parque. Além disso, é um cenário de contemplação para as duzentas mil pessoas que atravessam o parque diariamente”, Fernando Gonzalez.

 

Com quase quatro mil metros quadrados e capacidade para dois milhões de litros de água, o lago ocupa o segundo lugar em tamanho dentre os lagos artificiais do parque. Ele abriga uma ilha artificial que serve de berçário para inúmeras garças. O secretário de Envelhecimento Saudável, Qualidade de Vida e Eventos, a qual a FPJ está vinculada, Felipe Michel comemorou a revitalização do lugar. 

Foto: Divulgação Fundação Parques e Jardins FPJ

 

“Quando assumi a Secretaria, esse lago se tornou uma das minhas prioridades. Ele é a grande estrela do Campo de Santana e também muito importante para a fauna local. Tenho certeza de que os animais e a população carioca estão muito felizes vendo este lago cheio novamente”, Felipe Michel.

 

Valentina Ramos, de 85 anos, aluna do projeto RAL – Rio Ar Livre – do Largo do Machado disse que adorou a oportunidade de fazer uma aula de dança e alongamento em um cenário tão especial. Junto com os funcionários da Fundação, ela soltou peixinhos que vão repopular o lago

 

“Eu já conhecia o Campo de Santana, mas faz tempo que não o vejo tão bonito e organizado”, Valentina Ramos.

 

Foto: Divulgação Fundação Parques e Jardins FPJ

O parque Campo de Santana, um dos espaços mais tradicionais do Rio de Janeiro, está localizado na Praça da República, na regial central da Cidade Maravilhosa. O nome “Campo de Santana” é uma referência ao fato de estar localizado nas proximidades de onde ocorreu a proclamação da República do Brasil em 1889. O campo, palco de diversas rebeliões, foi tombado, em 1968, pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural (INEPAC) e, em 2012, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) também anunciou o tombamento do parque.

 

 

Fontes:

Fundação Parques e Jardins FPJ

https://pt.wikipedia.org/wiki/Campo_de_Santana_(Rio_de_Janeiro)

http://ashistoriasdosmonumentosdorio.blogspot.com/2010/10/campo-de-santana-o-nome-desde-sua-origem.html 

Revista InFoco

Revista In Foco. Uma revista Eletrônica que vai te deixar informado sobre diversos eventos. Fique Ligado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.