Mergulho ou A menina que sangrava poesia no Teatro Municipal Ziembinski

Foto: Luis Henrique Vieira

O Teatro Municipal Ziembinski apresenta nos dias 9, 10 e 11 de março o monólogo Mergulho ou A menina que sangrava poesia. O espetáculo faz parte do calendário de comemorações pelo Dia Internacional da Mulher realizado pelo teatro. 

Além do espetáculo, haverá também a mesa O Eterno Sexo: Uma reflexão sobre a luta feminina nos últimos séculos, no dia 10, sábado, após a sessão do espetáculo. Participam da mesa Indianare Siqueira, Patrícia Tolmasquim, Malena Gomes e Ana Míria Carinhanha, com mediação de Gláucia Lelis Alves.  

O monólogo, baseado no clássico O Diário de Anne Frank e representado pela atriz Rita Grego, destaca os conflitos e descobertas de uma adolescente que vive a dicotomia de uma sociedade em meio ao caos instaurado pela guerra.

O confinamento, a tirania e o preconceito são os principais agentes transformadores de sua visão de mundo, até então, ingênua, forjando novos valores e uma personalidade questionadora à frente de seu tempo. Sua narrativa, apesar de datar um período específico da história mundial, permite trazer à luz da discussão temas extremamente atuais, como o racismo, intolerância religiosa, restrição da liberdade e tantos outros. Durante a clandestinidade forçada, o único contato permitido com o exterior, era através de uma pequena fresta de janela, onde Anne tornou-se expectadora de um mundo e sociedade que desmoronavam.

Para a atriz, Rita Grego, a proposta é a de que os expectadores tenham a oportunidade de vivenciar uma experiência semelhante a partir do cotidiano relatado pela família Frank, onde cada um poderá enxergar a sua maneira o universo de questionamentos que descortinamos através da pequena fresta histórica que oferecemos.

 

 

“O Diário de Anne Frank continua sendo um dos livro mais vendidos entre o público adolescente. Faz parte da história de um povo que precisa ser contada e não deve ser esquecida. Falar sobre a Guerra e o Holocausto é mais que um resgate histórico,; serve para conscientizar os jovens para produzir uma prática cotidiana de paz, respeito e tolerância às diferenças religiosas e culturais”, destaca a atriz.

 

 

Ficha Técnica:

 

Texto e direção: César Valentim

Atriz e produtora:  Rita Grego

Cenário:  José Facury Heluy

Figurino: Ricardo Rocha

Iluminação:  Tiago da Silveira

Composição e arranjos musicais:  Júlio Monteiro

Desing gráfico: Ricardo Rocha

Visagismo:  Ernane Pinho

Adereços:  Vanja Freitas

Fotografia:  Carambola Estúdio e Paulo Mainhard

Mixagem:  Ricardo Amorim

Edição trilha original:  Rodrigo Enoque

Assessoria de imprensa: RoMa in Press

 

 

Serviço: 

Mergulho ou A menina que sangrava poesia

Teatro Municipal Ziembinski

Endereço: Rua Heitor Beltrão, s/nº. Tijuca.  Rio de Janeiro. (próximo à estação de metrô São Francisco Xavier). Tel: 3234-2003.

Datas: de 9 a 11 de março, sexta a domingo, às 20h. 

Valor: R$30, a inteira

Tempo de espetáculo: 55 minutos.

Classificação: 14 anos.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: