Bruno Dantte trabalha a aceitação e valoriza o natural da mulher moderna

Foto: Reprodução Facebook Bruno

O cabeleireiro Bruno Dantte – que desenvolveu uma técnica própria e se especializou em cabelos naturais – busca valorizar a beleza natural do cabelo da mulher, sem que ela esconda os atributos originais de seu cabelo atrás de escovas, alisamentos, químicas e etc. Bruno Dantte, cabeleireiro há 15 anos, conta que nunca gostou de fazer escovas ou alisamentos. “Trabalhar com fios na forma natural seria fazer o que gosto da maneira que gosto”.

 

“Há oito anos comecei a me especializar, estudar, treinar e desenvolvi a técnica especializada em cabelos naturais”

 

O profissional explica que a mulher atual ainda esbarra no preconceito que sofreu dentro de casa pela própria mãe, marido, ou até mesmo no meio profissional. “Vivemos em ambientes que são muito preconceituosos ainda, não que isso seja escancarado, mas existe. É essa sensação que tentamos passar”. Bruno, uniu seu trabalho à técnica americana da Deva Academy de tratar e definir os cabelos de forma natural, respeitando a estrutura que cada um possui, e também se especializou em Nova Iorque. O trabalho vai além de apenas cuidar dos cabelos dessas divas, mas também um exercício de aceitação e recuperação da auto-estima das mulheres para com própria aparência. “Meu trabalho é mostrar para a cliente que um cabelo natural pode ser um cabelo bonito, saudável, que ela pode ser bonita assim”.
Após um longo período de trabalho em São Paulo, ele atendeu a francesa Elise Noui, apaixonada pelos seus cabelos naturais, e após ver como ele transformou os seus cachos o convidou para abrir um salão em Paris, na França. Mas o coração do cabeleireiro falou mais alto pelo Rio de Janeiro, sua cidade natal, e ele a convenceu que seria melhor abrir o salão para atender a carioca, foi aí então que surgiu o Bruno Dantte Conceito, que fica na Barra da Tijuca, Zona Oeste da cidade.

 

“Cada cabelo é único e tem a forma de se agir com ele. Vejo o cabelo da cliente, a ondulação que ele tem; entendo o cabelo, a textura, e vou fazer o corte que ela quer de acordo com a textura que ela tem”

 

 

Foto : Caio Costa

No salão, que cuida de cabelos cacheados, ondulados e crespos, Bruno procura sempre dar um atendimento personalizado para suas clientes, usando os tipos certos de produtos e adaptando sua técnica de forma específica para determinado tipo de cabelo. “O salão possuiu uma tabela com tipos de cachos, ondas e crespos, que seriam os tipos já existentes; Tem um produto certo, uma finalização certa, um hábito de um jeito, camadas, cortes”.
Bruno conta que o preconceito que ainda existe no Brasil para com cabelos naturais, acaba dificultando o crescimento de mão de obra especializada nessa modalidade. “O problema no nosso meio é que ainda falta excelência, diferente de especialistas em loiro ou em determinadas técnicas de corte, por exemplo. Com cabelos naturais ainda há muita gente com conhecimento mais básico no Brasil”, conclui.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: