Thiago Marreta vence com louvor no UFC São Paulo

Uma noite em que brasileiros como Alex Cowboy e Rogério Minotouro fizeram a festa. Thales Leites se aposentando no UFC com vitória 

 

Marreta
Foto: Décio Martins

 

No sábado, dia 22 de setembro, o brasileiro Thiago Marreta venceu no UFC Fight Night 137, em São Paulo, na categoria meio-pesado. Num combate em que derrotou Eryk Anders por nocaute técnico, levando o público ao delírio, Marreta fechou a noite no Ibirapuera. Uma luta em que já deixou o carioca na categoria de ídolo brasileiro. Foram Três rounds difíceis e minutos eletrizantes, mas ele foi melhor no primeiro e terceiro.

 

Thiago Marreta x Eryk Anders
Foto: Décio Martins

 

Uma noite em que no card principal teve o empate entre Marina Rodriguez e Randa Markos, vitórias de Alex Cowboy e Rogério Minotouro, e o potiguar Renan Barão acumulando sua terceira derrota. Thales Leites encerrando a carreira com vitória. Ainda no card preliminar, o público brasileiro pode presenciar uma exibição de técnica de lutadores como Livinha Souza, Elizeu Capoeira, Mayra Bueno, Serginho Moraes, Augusto Sakai, Francisco Massaranbuda, Charles Oliveira, mas não conseguiu ver o brasileiro Luís Henrique KLB vencer, que por decisão unânime viu a vitória escapar.

 

Thiago Marreta x Eryk Anders
Foto: Décio Martins

 

Após a luta, Thiago agradeceu a todos que o apoiaram, disse que foi em São Paulo onde tudo começou, quando fez teste para segunda temporada do The Ultimate Fighter Brasil e pode fazer parte do UFC. Ainda mandou abraço para todos no Brasil, no Rio de Janeiro e em especial a sua comunidade Cidade de Deus, na zona Oeste do Rio. Ele falou sobre seu projeto, que apoia mais de 200 crianças na comunidade. Marreta, ainda dedicou a vitória à seu falecido pai, e a sua mãe e seu filho, que estavam na plateia.

 

Thiago Marreta x Eryk Anders
Foto: Décio Martins

 

“Queria agradecer aos meus treinadores e companheiros de treino. Agradecer também ao Eryk por aceitar essa luta com apenas uma semana de antecedência. Vitórias e derrotas fazem parte da vida, acredito que o mais importante é a forma como você age, como você respeita os outros”, resumiu.

 

 

Card principal no UFC São Paulo

 

Na primeira luta do card principal, Marina Rodriguez e Randa Markos empataram, os juizes decidiram por um empate majoritário.

Randa Markos acredita que ganhou e que fez o suficiente para vencer. “Ela é uma oponente dura, 11 vitórias e nenhuma derrota. Eu estou feliz de ter vindo ao Brasil e ter recebido a Marina dentro do UFC”, concluiu Randa.

 

Randa Markos x Marina Rodriguez
Foto: Décio Martins

 

Marina Rodriguez achou que dominou mais em pé e acertou mais golpes. “Foi minha estreia no UFC sei que deixar na mão dos juízes pode sair qualquer resultado”, Marina.

 

Em seguida, o norte-americano Andre Ewell venceu o potiguar Renan Barão por decisão dividida. (29-27, 28-29 e 29-28) a favor do norte-americano. Ewell disse que foi uma luta dura, e que ele deveria ter acabado com ela quando o derrubou Barão no primeiro round. Falou que vai trabalhar seus meus erros e a próxima vez quer terminar a luta nocauteando.

 

Renan Barão x Andre Ewell
Foto: Décio Martins

 

“Todos os oponentes são iguais e eu estou aqui para mostrar que eu sou o melhor peso-galo e depois subir para os penas. Quero dominar as duas divisões”, concluiu Ewell .

 

Sam Alvey x Rogério Minotouro
Foto: Décio Martins

 

O público do Ibirapuera foi ao delírio ao ver o do veterano Rogério Minotouro, que estava sem lutar há quase dois anos, vencer Sam Alvey por nocaute técnico aos 1min do 2º round. Minotouro contou que via a imagem desse nocaute todo dia, algumas vezes duas vezes por dia. E que imaginava esse nocaute, acordava e dormia com ele.

 

Minotauro vai abraçar seu irmão Minotouro
Foto: Décio Martins

 

“Só por um acidente ele não aconteceria. Vamos ver o que vai acontecer a partir de agora. Nas últimas entrevistas que dei, todos me perguntaram sobre aposentadoria. Depois dessa luta espero que mudem de opiniao”, disse Minotouro.

 

Minotouro
Foto: Décio Martins

 

Ao som de “Balada Boa”, do sertanejo Gusttavo Lima, Alex Cowboy chegou ao octógono, mas o brasileiro mal deu tempo pro público gritar seu nome. Aos 39 segundos do 1º round, acertou um golpe limpo no rosto Carlo Pedersoli e nocauteou o italiano. Cowboy contou que imaginava uma luta rápida, mas pensava venceria sem segundo round. Mas quando estava entrando no ginásio, um fã pediu para ele vencer sem primeiro round.

 

Alex Cowboy x Carlo Pedersoli
Foto: Décio Martins

 

“Quero continuar andando para frente dentro da divisão. Magny já tem luta marcada e espero que me ofereceram alguém ainda mais classificado”, finalizou Cowboy.

 

 

Alex Cowboy x Carlo Pedersoli
Foto: Décio Martins

 

 

 

Card preliminar no UFC São Paulo:

 

No card preliminar a estreante Livinha Souza finalizou Alex Chambers aos 1min21 do 1º round. Livinha avaliou seu desempenho de mediano para bom. Ela disse que esperava pega-la em menos de um minuto. Mas acredita falhou em uma posição de montada, que treinou muito, e estranhei um pouco o tamanho do octógono.  “Mas para o meu começo no UFC está bom, sei que vou reinar na divisao por muitos anos”, resumiu Livinha .

 

Lívia Renata Souza x Alex Chambers
Foto: Décio Martins

 

Livinha contou que gostaria de lutar em dezembro, mas ficou mais de um ano sem lutar, e agora está pronta, sem lesões.

 

“Se precisarem de mim semana que vem, mês que vem, estou pronta. A partir de agora, os fãs podem esperar o melhor. Vou derrubar, bater, cair e levantar. E se me derem uma brecha, eu encerro a luta, como fiz hoje”, concluiu Livinha.

 

Em seguida Elizeu Capoeira, numa boa fase no UFC, venceu Luigi Vendramini por nocaute aos 1min20 do 2º round. Elizeu Capoeira, que disse querer  de enfrentar o Robbie Lawler na próxima luta, contou que teve um pequeno deslize no primeiro round, acabou perdendo a posição e entregando as costas, mas treina muito esse tipo de movimento e se sente confortável em situações com essa. Capoeira explicou que Luigi é um cara duro, além de estar estreando e veio para dar o máximo. Ainda acredita que seu oponente terá um grande futuro dentro do UFC. Ele ainda disse que é muito bom lutar no Brasil. 

 

Elizeu Capoeira x Luigi Vendramini
Foto: Décio Martins

 

“Eu vim da capoeira, é um esporte brasileiro, acho que isso cria uma identificação dos fãs comigo. Eu fico muito feliz de poder lutar em casa e oferecer sempre desempenhos especiais para o público”, resumiu Elizeu.

 

Thales Leites x Hector Lombard
Foto: Décio Martins

 

O veterano Thales Leites venceu Hector Lombard por decisão unânime (triplo 29-28). Thales Leites, que encerrou o ciclo no UFC, contou que a sensação foi melhor do que imaginava. Ele sabia que ia ser sofrido, até pelo calibre do Hector, mas acreditou desde o primeiro momento em toda a estratégia que montou junto da sua equipe, pois tinham estudado  o adversário.

 

Thales Leites x Hector Lombard
Foto: Décio Martins

 

“Eu fiz meu dever de casa e estou muito feliz de poder encerrar a carreira lutando aqui no Brasil. Ainda disse que não quer que as pessoas lembrem dele como o lutador que terminou em 50 ou nocauteado 15. Thales quer que lembrem dele não só dentro do octógono, mas como uma boa pessoa, um bom amigo, um bom pai”, concluiu Leites.

 

Thales Leites x Hector Lombard
Foto: Décio Martins

 

 

Mayra Bueno venceu sua oponente Gillian Robertson por finalização, com uma chave de braço, aos 4m55 do 1º round. Mayra Bueno disse que foi a melhor sensação do mundo e que estava no controle de tudo, esperava nocautear, mas sabia que podia finalizar a qualquer momento.

 

Mayra Bueno x Gillian Robertson
Foto: Décio Martins

 

“Eu cheguei no UFC mostrando o que sou capaz de fazer e eu vou ganhar esse cinturão. Os fãs podem esperar uma Mayra mais agressiva e com o melhor jiu-jitsu da divisão”, resumiu Mayra.

 

Serginho Moraes venceu Ben Sauders por finalização (katagatame) aos 4min42 do 2º round. Sérgio Moraes explicou que o seu jiu-jitsu é o melhor dessa divisão, contou que o Saunders ainda não havia sido finalizado na carreira e ele queria muito poder provar que o seu jiu-jitsu estava de volta. Ele tinha prometido que volatria a lutar em São Paulo e não deixaria a luta durar três rounds.

 

Ben Saunders x Serginho Moraes
Foto: Décio Martins

 

“Eu acabo saindo da minha zona de conforto e lutando em pé porque ninguém aceita lutar no chão comigo. Quando pego um adversário que luta no chão, acabo com ele”, concluiu Sérgio .

 

 

Augusto Sakai venceu Chase Sherman por nocaute técnico aos 4min03 do 3º round. Augusto Sakai disse que foi uma guerra, mas achou que sua estreia no UFC merecia ser assim.

 

Chase Sherman x Augusto Sakai
Foto: Décio Martins

 

“Ter tido a oportunidade de participar do Contender Series Brasil, estrear no UFC em casa e vencer, tudo isso no espaço de um mês, é a realização de um sonho. Agora vou continuar evoluindo e dando show, e vai ser assim até eu me aposentar”, resumiu Sakai.

 

Ryan Spann venceu o brasileiro Luís Henrique KLB por decisão unânime (30-27, 29-28 e 29-28). Ryan Spann disse que foi uma luta dura, mas foi como esperavam desde o começo. E sabiam que o brasileiro chegaria com tudo e se prepararam.

 

Luis Henrique KLB x Ryan Spann
Foto: Décio Martins

 

“A gente sabia seria difícil, especialmente lutar contra um brasileiro no Brasil, com todos os fãs torcendo contra mim. Agora eu só quero melhorar e lutar novamente”, concluiu Ryan .

 

Francisco Massaranbuda venceu Evan Dunham por nocaute aos 4min10 do 2º round. Francisco Trinaldo Massaranbuda ficou muito feliz porque o Evan Dunham, que é um grande lutador e estava se aposentando. Massaranbuda disse estava precisando vencer alguém com nome para voltar a aparecer entre os grandes nomes da divisão. 

 

Evan Dunham x Francisco Massaranduba
Foto: Décio Martins

 

“Agora eu quero bater no Kevin Lee. Ele ganhou de mim aqui no Brasil, falou mal do meu país e da minha torcida. Quero vence-lo no país dele.”, concluiu Massaranbuda.

 

Charles “do Bronx” Oliveira venceu Christos Giagos por finalização (mata-leão) aos 3min22 do 2º round. Charles Oliveira disse que quebrar o recorde do Royce com 28 anos é a prova de que fez as escolhas certas em sua carreira. E que está pronto para quebrar outros recordes. Ele contou que quando eu assinou a luta, disse que a favela inteira iria descer e ver o garoto do Bronx lutando e foi isso que mostrou.

 

Charles do Bronx x Christos Giagos
Foto: Décio Martins

 

 

“Essa vitória é de todo mundo que veio aqui, que acompanhou todos os perrengues. Tudo o que vem difícil é porque vai dar certo”, resumiu Charles.

 

 

 

 

 

Por: Ralph Taconi

 

Fontes:

UFC

In Press Porter Novelli

Revista InFoco

Revista In Foco. Uma revista que vai te deixar informado sobre tudo que esta acontecendo na cidade do Rio de Janeiro.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: