Netflix: ‘Hypnotic’ exagera ao mostrar técnicas impossíveis de hipnose, afirma especialista

Francesco Pellegata, master trainer em hipnoterapia e PNL revela os mitos e as verdades por trás do longa

 

Foto: Divulgação Netflix

O filme “Hypnotic” estreou recentemente na Netflix e tem levantado muitas dúvidas nas redes sociais sobre a hipnoterapia. Na trama, Jenn Tompson (Kate Siegel) procura um médico especializado na técnica para superar um trauma. O único problema é que o Dr. Collin Meade (Jason O’Mara) passa a controlar a mente da jovem e a obriga a fazer coisas contra a sua vontade. Para esclarecer várias questões sobre o tema, o Master Trainer de Hipnoterapia e Neuro-Linguística (PNL), o psicólogo Francesco Pellegata, lista os principais mitos e verdade que estão no filme.

 

  • Controle mental – Durante o longa a personagem de Kate Siegel passa a ter suas ações controladas pelo misterioso Dr. Collin. A moça não consegue se lembrar das coisas que fez e passa a ter alucinações com uma simples sugestão do médico. 

Francesco explica que o processo hipnótico mostrado no filme foi bem exagerado e que esse suposto controle da mente é algo que não se aplica na vida real: “Só é possível convencer uma pessoa a fazer algo que ela realmente queira fazer”.

 

  • Sugestão pós hipnótica? – É comum assistirmos em obras de ficção e em vídeos sobre hipnose, os especialistas usando algumas palavras ou toques no corpo que colocam as pessoas em um estado de quase transe.

Mas como é esperado, em Hypnotic, tudo é bem exagerado. “Não funciona exatamente como no filme. É uma tipologia de sugestão usada para ter resultados fora do transe hipnótico, para mudanças de hábitos ou para questões emocionais. Com certeza não funcionam para controlar a mente de ninguém”, ressalta o master trainer em PNL.

 

  • Dupla Personalidade – Um outro elemento que gera muitos comentários para quem vê o filme é a criação de duplas personalidades. No decorrer da obra é mencionado o projeto MK-ULTRA, que realmente existiu, mas a hipnose não pode criar múltiplas personalidades em alguém.

O Master Trainer de Hipnoterapia revela que o projeto mencionado era uma iniciativa da CIA para usar a hipnose nos espiões americanos, mas para isso também usavam combinações perigosas como o uso de LSD, choques elétricos, além do uso de substâncias como o LSD.

 

  • Uso de luzes intermitentes – Em uma sessão de hipnoterapia o mais importante é a voz. Outros elementos e truques podem facilitar o processo, mas Francesco alerta que em muitos casos esses elementos podem dificultar uma conexão maior:

“Músicas e luzes são completamente desnecessárias e até podem atrapalhar o processo terapêutico”, conta.

 

  • A Hipnoterapia pode causar transtornos psicológicos? – O principal ponto que o filme levanta é a importância de procurar um profissional sério e competente. A hipnoterapia lida diretamente com a mente humana, então para evitar algum problema é necessário encontrar um médico psiquiatra ou psicólogo realmente capacitado.

Francesco conta que outros doutores também podem usar a hipnoterapia, mas um profissional que não é formado a nível acadêmico na psique humana pode sim criar mais problemas que ajudar:

 

“Médicos de outras especializações podem usar a Hipnoterapia para aplicar anestesia e analgesia, para melhorar a saúde física de uma pessoa. Um dentista ou um fisioterapeuta podem usar a hipnose para controle da dor e para facilitar a recuperação física. Um nutricionista pode facilitar o processo de emagrecimento e de mudanças de hábitos. E qualquer pessoa pode aprender Hipnoterapia para melhorar as próprias performances na vida e na carreira”.

 

Foto: Jorge Thadeu

Francesco Pellegatta é um dos profissionais mais renomados em Programação Neuro-Linguística (PNL) e técnicas de estudo comportamental dos últimos anos. O italiano, formado em psicologia na Anthem University nos Estados Unidos, iniciou a carreira estudando moda em Milão, mas logo percebeu que o desenvolvimento humano era o que realmente chamava sua atenção. A Hipnose e a PNL foram fundamentais para ajudá-lo a superar um dos momentos mais difíceis da vida, quando seu pai foi diagnosticado com 4 tumores.

Ao longo dos anos, filiou-se à American Psychological Association e fez cursos de formação em vários países, o que lhe conferiu certificações com os principais expoentes mundiais dessas metodologias. Também se tornou uma das 20 pessoas no mundo condecoradas como Master Trainer de Hipnoterapia pelo Conselho Americano de Hipnoterapia (ABH). E atualmente é a única pessoa a ser certificado como Master Trainer de PNL pela American Board of NLP (ABNLP) e pela a Association for Integrative Psychology (AIP) simultaneamente.

 

Saiba mais sobre Francesco Pellegatta

www.instagram.com/francesco_pellegatta

https://www.pnl.expert/pnl 

 

Por Nobre Assessoria

Revista InFoco

Revista In Foco. Uma revista Eletrônica que vai te deixar informado sobre diversos eventos. Fique Ligado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *