Mês da Consciência Negra: como falar de racismo com crianças?

Resgate da ancestralidade africana é tema do livro infantil “Abayomi, a menina de trança”, da artesã Aniete Abreu

 

Foto: Divulgação

A arte-educadora e artesã Aniete Abreu presta sua contribuição ao movimento de empoderamento infantil e de busca pela ancestralidade africana no livro Abayomi, a menina de trança, publicação da Hanoi Editora pelo selo Hanoi Kids. A obra narra a jornada de uma menina negra que recebe a missão de proteger a natureza com a ajuda de amigos como o beija-flor Benedito e a borboleta Zabelê.

Para concluir sua tarefa, a pequena viaja até a cidade de Tietê, em São Paulo, onde interage com grandes personalidades negras. Dentre elas, destaca-se o músico Itamar Assumpção, figura importante da cultura popular brasileira, responsável por composições de sucesso de Cássia Eller e Zélia Duncan.

A reconexão com os ensinamentos ancestrais está presente até no nome da protagonista, que na língua iorubá significa “encontro precioso”. Abayomi também é a maneira como se chamavam as bonecas que confortavam as crianças dentro dos navios negreiros, confeccionadas a partir de nós e retalhos das saias das mães escravizadas.

Desde 2015, Aniete Abreu ministra oficinas de bonecas Abayomi para promover o resgate da herança da diáspora africana e valorizar as contribuições da população negra, muitas vezes ignorada e invisibilizada em comparação a outros grupos. Os brinquedos são produzidos com materiais de descarte de empresas têxteis, evidenciando a preocupação socioambiental da autora.

Mesmo quando dados do IBGE apontam que que 56% da população se autodeclarara preta e parda, o Brasil segue como um país racista.  Prova disso, é o aumento de mais 50% nas denúncias de racismo e injúria racial, segundo a edição mais recente do Anuário Brasileiro de Segurança Pública.

Ao abordar a importância da diversidade e do combate ao preconceito racial, a obra contribui para o desenvolvimento de valores como apreço pelas artes, cuidado com o meio ambiente e reverência pela ancestralidade.  Com muita leveza, a história estimula o orgulho, promove o autoconhecimento e ajuda a fortalecer o senso de pertencimento dos pequenos.

Abayomi, a menina de trança abre portas para a compreensão de questões étnico-raciais, inspirando a luta por respeito, aceitação e igualdade. É um convite para que pais, mães, familiares e educadores incluam as crianças em conversas sobre a importância do resgate histórico e da educação antirracista, temas fundamentais para a construção de uma sociedade mais justa e inclusiva.

 

Ficha técnica

Livro: Abayomi, a menina de trança
Autora: Aniete Abreu
Editora: Hanoi Editora
ISBN: 978-85-54823-43-6
Páginas: 20
Formato: 21×25 cm
Preço: R$ 40,00
Onde encontrar:Hanoi EditoraAmazon

 

Sobre a autora

Foto: Divulgação

Aniete Abreu é arte-educadora, artesã, militante do movimento negro e contadora de histórias. É responsável pelo processo de revitalização da cultura da umbigada em Tietê (SP), ministra oficinas de bonecas Abayomi em que são utilizados resíduos industriais de fábricas da região.

 

Sobre a editora

Ideias fundamentais encontram elos que as sustentam através dos tempos. A Hanoi Editora, fundada em 2017, tem como missão fortalecer esses elos que promovem o encontro entre autores, livros e leitores. Com abordagem fundamentada no respeito, transparência e senso de pertencimento, oferece suporte a autores, sejam novos ou já reconhecidos. Tem como visão proporcionar títulos de alto valor nas áreas de filosofia, artes, espiritualidade e desenvolvimento pessoal, promovendo a reflexão ativa em um mundo em constante transformação, impulsionando a humanidade a atingir seu potencial máximo.

Conheça as redes sociais da editora

 

 

Por LC – AGÊNCIA DE COMUNICAÇÃO

Revista InFoco

Revista In Foco. Uma revista Eletrônica que vai te deixar informado sobre diversos eventos. Fique Ligado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *