Bienal do Rio 2023: conheça algumas surpresas da Globo Livros na edição de 40 anos do evento

Laurentino Gomes, Valter Hugo Mãe, Rachael Lippincott e Alyson Derrick são algumas das presenças ilustres e falarão sobre seus últimos lançamentos

Foto: Divulgação

Os 40 anos da Bienal do Rio merecem um evento à altura e Globo Livros, Alt, Biblioteca Azul e nossos demais selos não poderiam deixar de trazer várias surpresas para o público. Os visitantes vão encontrar, entre os dias 1 e 10 de setembro, o maior estande da história da editora, com 350 m². Com esse espaço, buscamos acomodar a todos da melhor maneira possível e dividir com os leitores nossos lançamentos mais do que especiais. O estande está localizado no Pavilhão Azul L15/ M14.

Rachael Lippincott e Alyson Derrick, autoras de “Ela fica com a garota”, aterrissam na Bienal para conversar com seus fãs sobre seus mais novos lançamentos, “Orgulho e preconceito e nós duas” e “Lembre-se de nós”, respectivamente. As autoras, que são casadas, estarão presentes na mesa “Escrever (com) seu amor” no dia 9/9, mediadas pela escritora Clara Alves no Palavra-Chave, para compartilhar suas vivências e a experiência de escreverem juntas, além das diferenças e semelhanças em seus próprios processos criativos.

Valter Hugo Mãe é presença confirmada para falar sobre seus sucessos que misturam a cultura luso-brasileira, principalmente de seu livro, “As doenças do Brasil”. No feriado do dia 7/9, o escritor conversará com Carla Madeira, com mediação de Pedro Pacífico (@book.ster) sobre como estabelecer conexão imediata com os leitores a partir do coração. Na mesa “Escritas do coração”, no Palavra-Chave, Valter e Carla discutem a importância de escrever sobre os sentimentos, trazendo uma literatura voltada para a sensibilidade do cotidiano. Além disso, Valter estará na mesa “Histórias do interior” com Rui Couceiro, autor de “Baiôa sem data para morrer”, mediados pela influenciadora literária Mell Ferraz (@blogliteraturese), no dia 8/9, no Auditório Expositores (Pavilhão Verde). O encontro vai discutir como os dois portugueses trabalham em suas escritas a luta pela defesa de suas origens e formações, seja como sociedade, seja como indivíduo.

Oito vezes ganhador do Prêmio Jabuti de Literatura, Laurentino Gomes vai lançar a versão juvenil da sua trilogia de sucesso “Escravidão”, oferecendo aos jovens leitores a oportunidade de conhecerem mais sobre a história brasileira a partir de uma linguagem mais didática e acessível. No dia 7/9, o autor estará presente na programação oficial para falar sobre a importância de conhecer o nosso passado e compreender os desafios do presente na hora da reconstrução na mesa “Uma nova Independência” no Palavra-Chave. Já no dia 9/9, a mesa A herança da Escravidão no Brasil de hoje” acontecerá mediada pelo escritor Rodrigo França no Auditório Expositores (Pavilhão Verde). Os dois debatem a importância de não deixarmos os acontecimentos do passado se apagarem, pois essa é uma história que precisa ser estudada e recontada já que o racismo estrutural é uma realidade e uma cruel herança.

Igor Pires, criador da página “Textos cruéis demais para serem lidos rapidamente” e um dos autores mais vendidos de poesia contemporânea nacional dos últimos anos, também estará presente para falar sobre seu mais recente lançamento “Textos para tocar cicatrizes”. A mesa “As relações no mundo contemporâneo e suas expressões na poesia e na literatura” acontece já no primeiro final de semana, 2/9, no Auditório Expositores (Pavilhão Verde), mediada pelo escritor e influenciador literário Patrick Torres (@patzzic). Os dois debatem sobre como a literatura e, mais especificamente, a poesia contemporânea ajudam a expressar as relações que perpassam o indivíduo, seja numa troca consigo mesmo, com o mundo ou com o outro. Igor também estará em uma mesa da Amazon KDP, no dia 10/9, para falar sobre “Literatura Young Adult”.

Autor finalista do Prêmio Jabuti de Literatura de 2022 com “Se a casa 8 falasse”, Vitor Martins é uma das maiores promessas da literatura jovem brasileira. Por isso, no dia 9/9, o autor estará na mesa oficial “Mais que autor”, no Palavra-Chave, ao lado da Ilustralu, Stefano Volp e de Cínthia Zagatto para conversarem sobre suas experiências em outras áreas da produção do livro, e como esse envolvimento no mercado editorial pode influenciar sua obra. Vitor também marca presença no dia 10/9, no estande da Amazon KDP para falar sobre “Literatura Young Adult” e, no mesmo dia, na mesa “Entra na roda com Abdi Nazemian” no Palavra-Chave.

A jornalista Ana Paula Araújo, autora do livro “Abuso: a cultura do estupro no Brasil”, resultado de quatro anos de pesquisas sobre o assunto e mais de 100 entrevistas, estará presente na mesa “Na rua a gente se encontra”, no dia 8/9, no Café Literário, para debater ao lado de Joice Berth, Pedro Machado e Vitor Almeida sobre como a vida urbana pode nos ajudar a apreciar o local em que vivemos e a entender o nosso papel para que a cidade se torne cada vez melhor.

E, para encerrar esta edição especial de 40 anos da Bienal do Livro, o dia 10/9 contará com uma homenagem à Rita Lee, nossa eterna Rainha do Rock. Com Guilherme Samora, editor da Globo Livros, Mel Lisboa e mediação de Kamille Viola, o Palavra-Chave se transforma em um palco que celebra a memória e o legado de uma das maiores artistas da história do Brasil.
 

 

 

 

Por Divulgação Editora Globo

Revista InFoco

Revista In Foco. Uma revista Eletrônica que vai te deixar informado sobre diversos eventos. Fique Ligado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *