Bienal do Livro do Rio: publicação sobre os 40 anos do evento será lançada no primeiro dia 

Livro foi concebido e publicado pelo sindicato organizador do festival literário

 

Foto: Divulgação

Para celebrar as quatro décadas da Bienal do Livro do Rio, o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL) vai promover o lançamento da obra “A grande festa do livro: 40 anos da Bienal Internacional do livro do Rio de Janeiro”. A apresentação da publicação acontecerá em 1° de setembro, dia de inauguração da 21ª edição do maior festival literário do país, na abertura do espaço Café Literário.

livro reúne em 260 páginas os principais momentos da Bienal do Rio ao longo dos últimos quarenta anos. Com organização de Eduardo Salomão e edição de Marcos da Veiga Pereira, ambos membros da diretoria do SNEL, a publicação ainda conta com a coordenação editorial de Martha Ribas, textos de Silvia Marta Vieira e projeto gráfico de Victor Burton.

 

“Celebrar 40 anos de existência da Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro é motivo de orgulho para nossa indústria, e nada melhor do que comemorar com a publicação de uma obra que resgata a história deste evento. Ao longo dessas 20 edições, a Bienal se transformou. De uma feira de livros se tornou o maior polo de cultura e entretenimento do país. É muito gratificante lembrar dos espaços de debates e dos encontros que aconteceram entre leitores e escritores,” destacou Marcos da Veiga Pereira, Vice-Presidente para Assuntos Administrativos do SNEL e responsável pela edição do livro.

 

A obra percorre todas as edições passadas do evento, divididas em cinco grandes momentos históricos: “A fase romântica (1983-1987)”, “A consolidação como Bienal Internacional do Livro (1989-1997)”, “A transformação em evento cultura (1999-2007)l”, “O grande evento: A Bienal é para todos! (2009-2019)” e “A vigésima edição: 2021 e além!”.

Em 1983, a Bienal do Rio nasceu do movimento de um grupo de editoras e livrarias com o nome de Feira Internacional do Livro, marcando a criação de um dos eventos culturais de maior tamanho e expressão do Brasil em todos os tempos. A primeira edição, realizada no hotel Copacabana Palace, tinha um formato mais próximo de uma feira de livros.

Ao longo dos anos, uma das maiores conquistas da Bienal foi tornar a conexão entre autores, editores e livrarias com o público leitor uma relação de afetos e experiências. O evento também adiantou-se ao abordar temas importantes para sociedade.

Para o organizador da publicação, o publisher e diretor secretário do SNEL Eduardo Salomão, o livro representa, “a viva voz da Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro”.

 

“A proposta deste livro é contar e registrar a história da Bienal Internacional do Livro do Rio de Janeiro, que nasceu Feira Internacional do Livro do Rio de Janeiro, e deixou de ser “feira de livros para se transformar em evento cultural, transcendendo o espaço físico onde se realiza e alcançando também o mundo virtual. Tal qual o livro de papel encontrou sua versão digital, a Bienal funciona recriando os estandes das editoras e os seus espaços culturais nos domínios sem limites da Internet”, destaca Eduardo Salomão.

 

Bienal extrapolou seu espaço físico, e o evento encontrou outros protagonistas: os autores. A programação cultural, debates, autógrafos, ganhou vida própria. Os autores se transformaram em pop-star, e a Bienal se consolidou como grande sucesso do evento cultural, um dos maiores eventos culturais do Brasil, chamando a atenção de agentes culturais do mundo inteiro.

 

Sobre a Bienal do Livro do Rio 2023

Presente na memória afetiva de milhares de pessoas, a Bienal do Livro Rio completa 40 anos com uma edição comemorativa que traz as mais relevantes discussões contemporâneas, acompanhando as mudanças do mundo. Este ano, o maior festival de literatura, cultura e entretenimento vai oferecer ao público experiências que vão além do livro, em palcos inéditos e com bastante interação com o público, unido por uma paixão em comum: contar e ouvir histórias. Realizada pela GL events Exhibitions em parceria com o Sindicato Nacional dos Editores de Livros (SNEL), a Bienal vai reunir, este ano, mais de 300 autores em 80 encontros com os leitores, com cerca de 300 editoras do país inteiro. Serão mais de 200 horas de programação para toda a família.

 

Sobre o SNEL

Criado em 1941, o Sindicato Nacional dos Editores de Livros tem como finalidade o estudo e a coordenação das atividades editoriais, bem como a proteção e a representação legal da categoria de editores de livros e publicações culturais em todo o Brasil. Como representante da categoria editorial, o SNEL é filiado à International Publishers Association (IPA) e ao Centro Regional para el Fomento del Libro en America Latina y el Caribe (Cerlalc). O Sindicato mantém articulações permanentes com diversas entidades, tanto governamentais quanto privadas, com o objetivo de fomentar a política do livro e da leitura no país.

 

 

Por SNEL – Sindicato Nacional dos Editores de Livros

Revista InFoco

Revista In Foco. Uma revista Eletrônica que vai te deixar informado sobre diversos eventos. Fique Ligado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *