Marcela Brandão chega às plataformas com a bossa lounge Santa produzida por Lan Lanh

Foto: Divulgação

A cantora e compositora paulistana Marcela Brandão lança, no dia 23 de setembro, o single autoral Santa, uma canção autoral produzida pela percussionista e compositora Lan Lanh, que também divide o arranjo com Guto Menezes e Fernando Deeplick. A faixa, que chega às plataformas com música pelo Selim de Música, nasceu como uma homenagem para Cássia Eller (1962-2001), que foi a primeira paixão de Marcela na música.

 

“Quando ela se foi eu tinha 10 anos. E minha admiração tornou-se cada vez mais intensa, à medida que eu conhecia sua obra. Eu estou na música porque ela esteve antes, e me inspirou. Inclusive o título ‘Santa’ é a própria, a minha santa Cássia Eller”, confessa a artista. 

 

Lan Lanh não foi convidada ao acaso para produzir a música. Marcela contra que a letra foi criada no momento em que a percussionista, parceira de Cássia Eller na música e na vida, vivia a maternidade. “Foi natural conjugar a elevação que Cássia Eller representa com o divino de uma nova vida. Por isso, ‘Santa” é também um presente meu para Lan Lanh”.

Marcela é uma artista que gosta de explorar as possibilidades da música brasileira. Seu trabalho conjuga brasilidade ora com o pop, ora com o eletrônico, ora com o regional. São ‘lugares’ onde sua interpretação busca manter a identidade e a personalidade. Em Santa, o rural aparece na religiosidade, na devoção natural cultivada pelas famílias; e o urbano está presente no arranjo, uma bossa longe, cuja ideia brotou quando Lan Lanh assistia a série documental O Canto Livre de Nara Leão. Com suavidade e balanço a música brinca com a religiosidade para falar de beleza, de arte e da ternura da artista Cássia Eller, pelo olhar de Marcela Brandão.

 

A letra

Santa / Nome de santa tem / Habilidade tem pra iluminar a escuridão de alguém / Suavidade tem pra embalar o sono do neném / Tem poesia até dizer amém. 

Usa e abusa do sorriso em V / Do peso do nome, o fardo de viver / Desenha no corpo a arte de Monet. 

Dá neblina no olho te ouvir cantar / Pego nosso terço, penduro em nosso berço / Ponho a balançar / E suplico ao mundo / Que este abra alas ao seu batucar.

 

FICHA TÉCNICA – MúsicaSantaArtista/intérprete: Marcela Brandão. Letra e melodia: Marcela Brandão. Arranjo: Lan Lanh, Guto Menezes e Fernando Deeplick. Produção musical: Lan Lanh. Coprodução musical: Fernando Deeplick. Produção executiva: Gisella Chinelli. Músicos: Lan Lanh (tamborim, pandeiro e ganzá), Fernando Deeplick (bateria eletrônica, percussão eletrônica e teclado), Guto Menezes (violão base, violão solo e piano).  Mixagem e masterização: Fernando Deeplick. Estúdios: GM Studio (gravação) – Guto Menezes; Lan Lan Music (gravação) – Lan Lanh; Studio 151 (gravação) – Fernando Deeplick e Anderson Chames; Tuntune (gravação, mixagem e masterização) – Fernando Deeplick. Designer da capa: Jefferson Penna.

 

Lançamento/single: Santa

Intérprete: Marcela Brandão

Nas plataformas de música: 23 de setembro de 2022

Selo/distribuição: Selim de Música – @selimdemusica

Ouça Marcela Brandão: https://open.spotify.com/artist/4YihvchpM0vU5a2ZoTdyak

Facebook: @eumarcelabrandao | Instagram: @marcelabrandaoo | Youtube/mamabrandao

 

Marcela Brandão -foto de Guilherme Assano -1ab

A paulistana Marcela Brandão (30 anos) é cantora de personalidade e estilo próprio, também violonista e compositora alinhada com seu tempo. Estudou música por 10 anos no CLAM, escola do Zimbo Trio, e faz preparação vocal com Bruna Caram. A carreira profissional começou, em 2010, tocando na noite paulistana e no circuito das Fábricas de Cultura. Cinco anos depois, deu um tempo ao violão para se dedicar à vida acadêmica. Formou-se Gastronomia e Letras, além de estudar Musicoterapia. De um início de carreira afiado com a música popular brasileira mais tradicional, sua estética já envereda por sonoridades contemporâneas, onde a tradição ganha nuance pop e sons experimentais. “Música é sensibilidade, mas é preciso ir além das notas e dos versos para estabelecer um trabalho concreto que vai além do ato de compor e conhecer a trajetória da música brasileira”, diz.

Seu primeiro EP Retorno de Saturno, lançado em 2020, traz cinco composições, sendo três autorais – “Dimensões”, “Eu Não Sei Fazer Rock’n’roll” e “Filosofia de Botequim” – e duas releituras – “Baioque” (Chico Buarque), com arranjo que transita entre o baião e o rock, e “Cuitelinho” (do folclore mato-grossense adaptada por Paulo Vanzolini), que ganhou ares mais alegres. Em novembro de 2020, Marcela lançou o single Sobre Maria (parceria com Zé Tedesco), uma composição suingada, cheia de sonoras brasilidades e ancestralidades, que fala sobre a mulher brasileira com sua força e delicadeza, sua fé na transformação. Em maio de 2021, a música ganhou um videoclipe em animação (assinada por Ale Saraiva e Caroline Eri Hirose), no qual a personagem Maria caminha, desfila e dança interagindo com situações sugeridas pela letra carregada de simbolismos. Em junho, lançou o single Moxotó, produzido pela percussionista, compositora e cantora Lan Lanh, seguido por Menino Severino e Batedeira (esta, de Marcello Sonoro), ambos produzidos por Bruno Piazza, lançados em agosto e em outubro de 2021, respectivamente. Em 2022, lançou Tim Tim Eu Vim de Lá (parceria com Kinho Russo), também com produção de Piazza.

 

 

Por SAGITTA Produções/ VERBENA Assessoria

Revista InFoco

Revista In Foco. Uma revista Eletrônica que vai te deixar informado sobre diversos eventos. Fique Ligado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *