Oscar 2021: Anthony Hopkins leva o prêmio de Melhor Ator

Foto: Divulgação Califórnia Filmes

Neste domingo (25), aconteceu a cerimônia do Oscar 2021. Uma noite diferente daquelas que o público estava acostumado a assistir nas edições anteriores. Em meio a pandemia de Covid-19, a Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, cumpriu os protocolos de distanciamento social e celebrou os melhores filmes do ano, e a 93ª cerimônia aconteceu em dois lugares, no Dolby Theatre e no Union Station, em Los Angeles. Como já era esperado, Nomadland foi o grande vencedor, levou prêmio de Melhor Filme, Melhor direção para Chloé Zhao,  e Melhor Atriz  para Frances McDormand. Pela segunda vez, o ator Anthony Hopkins, aos 83 anos, venceu categoria de Melhor Ator por Meu pai. E mais uma vez a Coreia foi representada em Hollywood, a sul-coreana Youn Yuh-jung, de “Minari“, aos 73 anos, venceu como Melhor Atriz Coadjuvante.

Considerado como um dos maiores atores em atividade e o mais velho a vencer como “Melhor Ator”, o britânico Anthony Hopkins, que já tinha vencido o Oscar em 1992, com o O Silêncio dos Inocentes, também é conhecido por interpretar o serial killer canibal, Hannibal Lecter, sua sequência Hannibal e sua prequela Red Dragon, entre outros. Além do Oscar, Hopkins, que nasceu em Port Talbot, País de Gales, filho de Muriel Yeats Annee e Richard Arthur Hopkins,  também foi premiado com três BAFTA, dois Emmy do Primetime e um Prêmio Honorário Cecil B. DeMille.

No Filme “Meu Pai”, Anthony Hopkins vive Anthony. Um homem de 81 anos de idade, que mora sozinho em seu apartamento, em Londres, e recusa todos as enfermeiras que sua filha, Anne (Olivia Colman), tenta impor a ele. Esse pai começa a lutar contra a demência, onde mais nada faz sentido dentro de sua cabeça. E na do telespectador também, que tenta entender o que está acontecendo realmente, onde os sentidos acabam se misturando. A filha, arruma um marido e vai morar em Paris, deixando o pai numa Casa de Repouso. Será que essa é a melhor opção? Quando não aguentamos mais segurar a barra, devemos abandonar as pessoas que amamos? É certo um acompanhamento médico, mas estar com quem amamos e que faz parte das nossas lembranças, cura a alma e alivia o sofrimento. Um filme forte, que mostra o declínio da realidade que muitos idosos, e pessoas com o mesmo problema, enfrentam todos os dias. 

 

 


Confira os premiados.

Melhor filme: Nomadland 

Melhor atriz: Frances McDormand (Nomadland) 

Melhor ator: Anthony Hopkins (Meu Pai)

Melhor roteiro adaptado: Meu pai

Melhor direção: Chloé Zhao (Nomadland)

Atriz coadjuvante: Youn Yuh-jung – “Minari”

Ator coadjuvante: Daniel Kaluuya – “Judas e o messias negro”

Melhor filme internacional: “Druk – Mais uma rodada” (Dinamarca)

Melhor roteiro original: Bela vingança

Maquiagem E Cabelo: A Voz Suprema Do Blues

Melhor Figurino: A Voz Suprema Do Blues 

Melhor Trilha sonora: Soul

Melhor Animação: Soul

Melhor Som: O Som Do Silêncio

Melhor Edição: Som Do Silêncio

Melhor Curta-metragem: Dois Estranhos (Two distant strangers)

Melhor Curta De Animação: Se Algo Acontecer…  Te Amo (“If anything happens I love you”)

Melhor Documentário Em Curta Metragem: Colette

Melhor Documentário: Professor Polvo (My octopus teacher)

Efeitos Visuais: Tenet

Melhor Design De Produção: Mank

Melhor Fotografia: Mank

Canção Original: “Fight For You” – “Judas E O Messias Negro”

 

 

 

Fontes: TV Globo

Oscar 2021: ‘Nomadland’ é grande vencedor, com prêmios de melhor filme, direção e atriz | Oscar 2021 | G1 (globo.com)  

Anthony Hopkins – Wikipédia, a enciclopédia livre (wikipedia.org)

Oscar 2021: Anthony Hopkins é o mais velho a vencer como Melhor Ator – Quem | Séries e filmes (globo.com)

A desconhecida vida de Anthony Hopkins, o vencedor do Oscar 2021 que aprendeu a ser feliz aos 75 | Cultura | EL PAÍS Brasil (elpais.com)

Revista InFoco

Revista In Foco. Uma revista Eletrônica que vai te deixar informado sobre diversos eventos. Fique Ligado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.