Museu do Amanhã promove debates sobre sustentabilidade entre jovens líderes

No Dia da Terra, o seminário ” Sementes para o Futuro” tem como objetivo reconhecer e compartilhar diferentes visões sobre o valor da natureza e apontar soluções do presente para um futuro mais sustentável.

 

Foto: Pixabay/Imagens gratuitas

Vivemos um momento histórico no qual o futuro do planeta e o das próximas gerações está sendo decidido e a mudança que precisamos só pode ser coletiva. Como transformar perspectivas de valor em um mundo diverso, multicultural, com diferentes cosmovisões? Como encarar o mundo de forma mais sustentável, garantindo um meio ambiente saudável no futuro? Como achar um caminho que respeite o valor do outro sem deteriorar o meu? Como integrar visões para o bem comum? Neste mês, em que celebramos o Dia da Terra, a Conservação Internacional e o Museu do Amanhã promovem nos dias 22 e 29 de abril o Seminário online Sementes para o Futuro, propondo diálogos sobre o futuro que queremos construir e quais caminhos podemos seguir para vivermos em um planeta mais próspero para todos. O evento será transmitido, a partir das 17h, pelo youtube do Museu do Amanhã.

Qual o valor da natureza para as jovens lideranças? A pergunta será o ponto de partida do primeiro dia de evento, que terá como abertura a palestra de Thomas Lovejoy, ambientalista e biólogo norte-americano especializado em biodiversidade. Em seguida, Miguel Moraes, Diretor Sênior de Programas da Conservação Internacional, media uma mesa com a participação de Amanda Costa, ativista formada em Relações Internacionais e empreendedora no Perifa Sustentável; Marilene Rocha Batista, jovem liderança da Reserva Extrativista de Cassurubá; e Muká Yawanawá, liderança jovem da terra indígena do Rio Gregório do Povo Yawanawá. A conversa será sobre o papel da juventude nas transformações necessárias para um mundo mais sustentável.

No segundo dia de evento, vamos refletir sobre  as soluções do presente para o futuro: o que estamos fazendo para a construção de amanhãs mais sustentáveis? Nesta mesa, mediada pela jornalista Daniela Chiaretti, teremos um debate com a participação de Luciana Villa Nova, gerente de Sustentabilidade da Natura e responsável pelo Programa Amazônia, Fabio Scarano, professor de ecologia da UFRJ, e Francisco Pianko, ativista indígena e liderança do povo Ashaninka. Neste diálogo, serão abordadas as soluções praticadas no presente que buscam mitigar os efeitos dos desafios ambientais vividos em todo o planeta, para alcançarmos o futuro que queremos. O encerramento fica a cargo de Pedro Bial.

 

“Já estamos vivendo uma crise climática e sabemos que pelo menos 30% das soluções para mitigar os efeitos desta crise advém da natureza. Por isso, temos que fazer valer a floresta em pé e restaurar cada vez mais florestas. É urgente o debate sobre iniciativas que promovam o desenvolvimento de economias sustentáveis e baseadas na conservação de áreas de extrema importância para as pessoas e para a natureza. Podemos transformar o futuro ao potencializar a restauração de florestas e a bioeconomia, ampliar áreas protegidas, fortalecer a governança de povos tradicionais e indígenas, fomentar o consumo consciente. Precisamos criar modelos de financiamento que favoreçam a conservação e estimulem a produção sustentável de commodities. Se engana quem acha que estamos falando apenas de biodiversidade e clima. Estamos falando de empregos, saúde, justiça social, bem-estar. Estamos falando do nosso futuro como humanidade. Precisamos avançar juntos, em um esforço de cooperação global, para alcançarmos um amanhã mais saudável, justo e sustentável para todos”, destaca Mauricio Bianco, vice-presidente da Conservação Internacional no Brasil.

 

Para Ricardo Piquet, diretor executivo do Museu do Amanhã, há muitas ideias, projetos e soluções para o futuro que estão sendo desenhados agora e é preciso reconhecê-los e valorizá-los. 

j

“A construção de novos amanhãs tem que ser coletiva, ou seja, tem que partir de toda a sociedade, numa união de forças entre poder público, empresas, instituições e pessoas”, afirma Ricardo Piquet, diretor presidente do IDG e diretor executivo do Museu do Amanhã.

“É importante que novas lideranças surjam e se somem ao trabalho que outras pessoas já vêm realizando há muitos anos para, cada vez mais, engajar a sociedade nas mudanças de hábito que precisamos. Um bom caminho é nos inspirar nos que nos disseram que plantar árvores hoje é uma ação que vai garantir os frutos e sombras para as gerações futuras. Essa ideia é a semente que vai fazer germinar nossos futuros”.

 

Serviço:

 

Seminário Sementes para o Futuro

Programação completa nos sites da Conservação Internacional e Museu do Amanhã.

Datas e horário: 22 e 29 de abril, às 17h

Onde? No YouTube do Museu do Amanhã.

j

j

j

Por Approach Comunicação

Revista InFoco

Revista In Foco. Uma revista Eletrônica que vai te deixar informado sobre diversos eventos. Fique Ligado!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.