Vitor Belfort faz sua última luta e Amanda Nunes garante seu cinturão no UFC 224

“Quero parabenizar a equipe de Lyoto e agradecer a minha equipe, meus fãs e minha família. Tudo na vida tem um começo, meio e fim, e agora é hora de cuidar da minha família.”, Vitor Belfort.

 

Lyoto e Vitir
Foto: Edna Rocha

Neste sábado, 12 de maio, véspera do dia das mães, o Rio de Janeiro recebeu o UFC 224, na Jeunesse Arena, Barra da Tijuca. Uma noite que ficou marcada pela aposentadoria de Vitor Belfort, uma das maiores lendas do MMA brasileiro. A luta que que marcou o fim da carreira de Vitor, foi com Lyoto Machida. Os combates não ficaram somente nesta luta foram 13 combates e 14 brasileiros no tatame. Amanda Nunes garantiu a estadia de seu cinturão no Brasil. Mutante desafiou Borrachinha. Davi Ramos foi recepcionado por Minotauro, após vitória. Hino Nacional sendo executado na entrada de Warlley Alves. 

Um duelo que dividiu a torcida na Arena. Belfort foi aclamado pelos fãs que gritavam seu nome, e ainda gritavam “Uh, Vai Morrer” para Lyoto. E o Machida também tinha seus torcedores que gritavam seu nome. Mas no início do segundo round, a torcida tomou partido do aposentado e começaram a gritar ‘Olé, olé, olé Vitor, Vitor’. Porém no primeiro minuto do segundo round, Lyoto, com um chute frontal, acertou o queixo de Vitor, que foi ao chão nocauteado. 

 

“Obrigado a todos vocês que ao longo da minha carreira têm sido tão maravilhosos. Nao tenho palavras!”, Vitor.

 

Foto: Edna Rocha

Eles abriram o card principal do UFF 224, pelas onze da noite, os atletas que levaram mais de um minuto para mostrar seus golpes no primeiro round. Porém no início do segundo assalto e com um golpe de caratê, um chute frontal, Lyoto nocauteou Belfort. Vitor usou sua rede social para levar o resultado do confronto no bom humor, ainda demonstrou todo seu respeito a Lyoto.

 

“Quem disse que um raio não atinge o mesmo lugar duas vezes… Todo meu respeito ao Lyoto.”, escreveu Vitor.

 

Esse golpe marcou a carreira dos dois lutadores. No UFC 126, dia 5 de fevereiro de 2011, em Las Vegas, EUA, Vitor foi nocauteado por Anderson Silva com um chute frontal. Enquanto Lyoto enfrentou Randy Couture,  em sua luta de despedida, no UFC 129, de 30 de Abril de 2011, em Toronto Canadá. No início do segundo round, Machida aposentou o norte-americano com um Chute Frontal Voador, nocauteando-o.

Lyoto disse que havia treinado muito para o confronto deste sábado, mas não o chute frontal e comparou com a luta contra  Randy Couture. Ele ainda contou que vai aguardar o próximo adversário, mas que gostaria de lutar contra Michael Bisping.

 

“Quando você está bem treinado e preparado, pode ver a luta com mais clareza e ser capaz de fazer coisas que você nem sequer treinou. Eu sei que foi muito parecido com o pontapé que dei em Randy Couture, quando ele se aposentou, com a diferença que eu estava certo do que ia fazer, talvez por isso, é a história se repetindo.”, Lyoto.

 

Foto: Edna Rocha

Em sua rede social, Lyoto disse que só se atinge os objetivos através de muito preparo. Ainda agradeceu a todos que estão sempre ao seu lado, sua equipe e ao Vitor. Ele falou que vai descansar com a família e aguardar o próximo desafio.

 

“Obrigado a toda minha equipe que com muita sabedoria caminharam junto comigo até essa vitória. Parabéns ao Vitor Belfort por ter se tornado uma lenda viva dentro desse esporte. Tenho certeza que seu legado vai inspirar, como já inspira, muitas gerações através de sua técnica e história de vencedor.”, Lyoto Machida.

 

 

John Lineker,  Mackenzie Dern, Kelvin Gastelum e Amanda Nunes garantiram vitória no CARD principal do UFC 224

 

 

Foto: Edna Rocha

 

 

No card principal além de Vitor X Belfort, o público pode conferir os confrontos entre John Lineker e Brian Kelleher, Mackenzie Dern e Amanda Cooper, Ronaldo Jacaré e Kelvin Gastelum e a disputa pelo cinturão entre Amanda Nunes e Raquel Pennington.

 

 

 

 

Kelleher e Lineker
Foto: Edna Rocha

 

O brasileiro John Lineker derrotou  Brian Kelleher por nocaute, às 3:43 do round 3. Ele disse que as mãos voltaram a trabalhar e que precisava de seu knockout para recuperar o meu apelido “Mãos de Pedra”.

 

“Estou muito feliz de lutar no Brasil, e os fãs ajudaram – uma grande quantidade de energia dentro da arena”, resumiu Lineker.

 

 

Mackenzie e Amanda
Foto: Edna Rocha

Mackenzie Dern, que chegou ao som da música  “Pesadão” (Iza e Marcelo Falcão), enfrentou Amanda Cooper e com um mata-leão, aos 2:27 do round 1, finalizou o confronto. Dern que ficou no vácuo algumas vezes quando levantava a mão para comprimentar Cooper, disse que queria acertar alguns  e ficou muito feliz de ter mostrado seu ground and pound, e ainda terminar com finalização. Ela ainda falou sobre o fato de não ter batido o peso, que isso foi muito chato e não vai se repetir.

 

“Eu Errei, tomei punição, mas Ela aceitou a Luta. Eu não sou uma pessoa Que Dá Desculpas, eu Tentei, Não consegui. Mas Não vou deixar Mais ISSO Acontecer.”, explicou Dern.

 

Mackenzie ainda disse que não queria sair dali e gostaria de ter ficado mais tempo, pois a energia ali era indescritível.

 

 

Kelvin e Jacaré
Foto: Edna Rocha

O californiano Kelvin Gastelum enfrentou o brasileiro Ronaldo Jacaré e por decisão dividida faturou a luta. Jacaré achou que tinha levado o confronto, pois tinha encaixado bons golpes.

 

“Eu pensei que tivesse vencido. Talvez eu perdido no segundo round, pois coloquei mais pressão, encaixei bons golpes, até levei para o chão, mas acontece.”, explicou Jacaré.

Kelvin Gastelum, que se destacou e conquistou fãs brasileiros, disse esperava vencer, mas gostaria de ter finalizado a luta para garantir a chance de disputar o cinturão. Ele ainda disse que não sabe se terá essa oportunidade, mas não perdeu a esperança.

 

“Eu achei que estava indo para terminar após o knockdown, mas ele é um cara duro, aguentou bastante.  A torcida Não foi tão receptiva desta vez, mas ainda tive apoio depois da vitória.”, concluiu Kelvin.

 

Nunes e
Foto: Edna Rocha

Amanda Nunes defendeu seu cinturão, venceu a norte-americana  Raquel Pennington e garantiu a permanência dele em suas mãos. A brasileira derrotou Pennington por nocaute técnico aos 2:36 do 5º round. Nunes disse que colocou em prática tudo que treinou, mas sua atleta estava preparada para cinco rounds.Ela contou que se sentiu  confortável durante cada rodada.

“Eu acho que essa luta me ajudou a evoluir porque era difícil para mim – Rocky e Tecia são minhas amigas, tive que me preparar mentalmente para isso. Mas esta é a razão da minha vida aqui. Eu sempre sonhei em ser a melhor do mundo. E Hoje eu continuo Sendo.”, concluiu.

 

 

James Bochnovic, Ramazan Emeev, Jack Hermansson, Warlley Alves, Elizeu Capoeira, Alexey Oleynik e Cézar Mutante venceram no Card preliminar

 

Foto: Edna Rocha

No Card preliminar o Markus Maluco, peso médio, finalizou James Bochnovic com um mata-leão a 4m48s do R1. O peso meio-médio, Ramazan Emeev derrotou Alberto Miná na decisão unânime dos juízes (30-27, 30-27, 30-27). O peso médio, Jack Hermansson, derrotou o brasileiro Thales Leites por nocaute técnico a 2m10s do R3. Warlley Alves, peso meio-médio, derrotou Sultan Aliev por nocaute técnico (interrupção médica) a 5m do R2. O peso meio-médio Elizeu Capoeira derrotou Sean Strickland por nocaute a 3m12s R1. Davi Ramos, peso leve, finalizou Nick Hein com um mata-leão a 4m15s do R1. O peso pesado Alexey Oleynik finalizou Júnior Albini com um Ezequiel a 1m45s do R1. O peso médio Cézar Mutante finalizou Karl Roberson com um katagatame a 4m45s do R1.

Perez x Bochnovic
Foto: Edna Rocha

 

Perez contou que treinou para nocautear Bochnovic na primeira rodada, mas ele chegou  muito afobado, tentando derrubá-lo.

 

“Eu não sou um faixa preta, mas eu sou um dos melhores no chão. Agora eu quero lutar mais. Meu foco sempre foi esse, lutar tantas vezes quanto possível. Desta vez eu comecei com o pé direito, treinando em casa. O que você viu dentro do octagon é o verdadeiro Markus.”, resumiu Perez.  

 

Miná e Emeev
Foto: Edna Rocha

O brasileiro Alberto Miná não teve o resultado que almejava e russo Emeev venceu o confronto. Emeev Rammazan disse que gostou da luta, que o Brasil tem grandes lutadores, e Mina é um deles.

 

“Foi uma boa luta. O Brasil tem grandes lutadores, e Mina é um deles – “Ele era um grande adversário, mas a coisa mais importante é que eu ganhei. Foi para isso que eu vim.”, concluiu Rammazan.

 

 

Leites x Jack
Foto: Edna Rocha

 

Thales Leites, é outro brasileiro que esteve perto de vencer não levou a luta. Mesmo com a costela quebrada, o sueco Jack Hermansson venceu no terceiro round. Jack contou que quebrou a costela primeira rodada, e foi difícil continuar.

 

“Thales é um grande lutador, mas eu aprendi que a defesa na minha primeira aula de jiu-jitsu com o meu treinador. Eu tenho o melhor ground and pound do mundo. Quando eu acerto, Não Tem para ninguém.”, resumiu o sueco.

 

 

 

Hino Nacional Brasileiro executado na chegada de Warlley Alves

 

Warlley Alves
Foto: Edna Rocha

 

 

Warlley Alves que chegou no octógono ao som do Hino Nacional Brasileiro, contou que estava muito feliz em voltar e vencer em casa. Ele treinou muito duro para conquistar a vitória no Rio de Janeiro, pois sabia que todo o ritmo de Sultan Aliev seria o jogo agarrado. 

 

“Eu sabia que ele iria para  Jogo agarrado. Eu por isso treinei muito forte. Toda a minha equipe tem uma parte nessa vitória.”, completou Alves.

 

 

 

Elizeu Zaleski
Foto: Edna Rocha

 

Elizeu Zaleski enfrentou Sean Strickland e disse que estava treinando muito seus golpes de capoeira e aconteceu exatamente como ele imaginou. Ainda falou que quer continuar lutando com os melhores.

 

“Eu venho para lutar com meu coração. Eu mostro o resultado dentro do octagon, e se isso traz esse prémio de desempenho, que assim seja. Sean é um lutador que deve estar entre os melhores; ele perdeu para grandes nomes como Ponzinibbio e Usman”.”, resumiu Elizeu.

 

 

 

 

Davi Ramos recebe abraço de Minotauro 

 

Davi Ramos
Foto: Edna Rocha

 

 

Davi Ramos aplicou um mata-leão Nick Hein ainda no primeiro round. E quando saiu do ringue foi recebido por Rodrigo Minotauro, que o parabenizou e se abraçaram. Davi contou que quer se tornar um atleta completo. Ele ainda disse que vai dar um passo de cada vez, pois foi apenas sua segunda luta como um peso leve, mas já se vê como Campeão da categoria.

 

 

 

 

 

Davi Ramos abraçando Minotauro
Foto: Edna Rocha

 

 

“Quero me tornar um atleta completo, como eu sempre fui em jiu-jitsu – um lutador que tem todas as ferramentas. Esta é a minha maneira de lutar e o estilo que eu quero trazer para o UFC – um lutador que tem seu próprio estilo, mas quem sabe como fazer tudo. Isso é o que eu tenho feito, mas é claro que a minha intenção de ir nesta luta era vencer.”, concluiu Davi.

 

 

 

 

 

Aleksei Oleinik
Foto: Edna Rocha

Júnior Albini foi outro brasileiro que não obteve um resultado positivo. Ele foi derrotado por Aleksei Oleinik via estrangulamento ezekiel ainda no primeiro round. Aleksei contou que antes de embarcar para lutar no Rio as pessoas diziam que os fãs brasileiros não gostavam de lutadores estrangeiros dentro do octagon, mas não foi o que ele viu. O veterano ainda disse que tem muito respeito pelo brasileiro e que a derrota faz parte do esporte.

“Os fãs me parabenizaram e me acolheram depois da vitória. Eu tenho um grande respeito por Albini, antes e depois da luta. Ele é um cara muito duro. Eu era apenas melhor do que ele. E no final do dia, este é um esporte. É profissional. É parte dela.”, resumiu Aleksei.

 

 

Mutante expressa desejo de lutar com Borrachinha 

 

Mutante
Foto: Edna Rocha

O  Cézar Mutante, derrotou Karl Roberson, ainda no primeiro round. Após a luta, declarou-se para esposa e disse que gostaria de enfrentar Borrachinha. Ele contou que está muito feliz com seu treinamento na academia e que no momento em que lutava, viu seus o treinadores guiando em todos seus Movimentos.

“Na minha cabeça, eu estou vindo de seis vitórias consecutivas e um prêmio pelo bom desempenho. Não estou de acordo com o resultado da luta contra Theodorou, mas estou aqui para continuar lutando e vencendo. Sobre Borrachinha, gostaria de enfrentá-lo, mas eu já disse tudo o que eu pensava. Agora é com o UFC. Quem eles colocaram, eu vou lutar.”, concluiu Mutante.

 

Borrachinha
Foto: Edna Rocha

 

O lutador de MMA Paulo Henrique Costa (Borrachinha), atualmente compete no peso-médio. Ele tinha uma luta marcada para dia 21 de abril, em Atlantic City, nos EUA, mas teve um rompimento parcial de 30% do bíceps esquerdo, e teve que ficar pelo menos seis semanas afastado dos treinos. Já recuperado, Borrachinha vai enfrentar o jamaicano Uriah Hall, no UFC 226, que acontece no dia 7 de julho, em Las Vegas.

 

 

 

 

Fontes:

https://pt.wikipedia.org/wiki/Anderson_Silva_vs._Vitor_Belfort

https://pt.wikipedia.org/wiki/Randy_Couture

https://sportv.globo.com/site/combate/noticia/borrachinha-se-lesiona-e-fica-fora-da-luta-com-uriah-hall-em-atlantic-city.ghtml

https://sportv.globo.com/site/combate/noticia/curado-de-lesao-paulo-borrachinha-encara-uriah-hall-no-ufc-226-em-las-vegas.ghtml

 

Revista InFoco

Revista In Foco. Uma revista que vai te deixar informado sobre tudo que esta acontecendo na cidade do Rio de Janeiro.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: