Eterna polivalência do superAMOR de Mãe

MÃE, Três letras que formam não um nome, e sim a substância da própria vida

 

Super Maravilha “Mãezona”
Arte: Alex Rodrigues.

Uma breve pesquisa feita de maneira informal através das redes sociais perguntando qual palavra resumiria a palavra MÃE, metade das respostas figuraram o “Amor”. Estas duas expressões: “Amor” e “Mãe”, estão juntas e misturadas. Em suas cabeças passa velozmente um flashback, pois vivem e revivem milhares de histórias como noites em claro, nana neném, um mundo de fraldas, mamadeiras, chupetas, buá, buá. Encontros e desencontros, lutas, lágrimas, ganhos, perdas, estradas longas, abraços, reticências, esperança, mas também incontáveis alegrias. Este é: “O outro lado do Paraíso” parafraseando a novela, pois Mãe é “padecer” nele, conforme o dito popular.

As Mães são multifuncionais e versáteis, pois concebem, criam, amamentam, trocam fraldas, levam pra passear, tomam conta do lar, trabalham fora, ou seja, no jargão futebolístico, ELAS jogam nas onze posições do campo. Depois desta maratona se mostram incrivelmente atenciosas para ouvir seus filhos, podem traduzir aquele idioma (gu, gu, dá, dá) dos pequenos juntando as primeiras sílabas. Passe o tempo que for, continuamos a ser os “filhinhos” da mamãe, assim como os tubarões farejam gotículas de sangue a quilômetros de distância, mães sabem o que vai e vem dentro da gente, um raio x poderoso, igual ao do superman.

O universo cabe no seu coração, e sobra mais espaço. Heroínas de carne e osso, invencíveis no cuidado com sua prole. Salvam o planeta dos inimigos, como a super Maravilha “Mãezona”.

A palavra “Mãe” é sinônimo de: coragem, desprendimento, proteção, porto seguro, exemplo que ensina por todas as gerações. Missão das mais honrosas e dedicadas. O Pai deve estar presente, mas toda mãe é crucial na formação do caráter de um filho, seja na casa simples de uma favela ou numa mansão em condomínio de luxo, independe de cor ou posição social.

Este segundo domingo de maio, onde celebramos o dia das mães, é uma sombra apenas em face a tudo que este “Ser Mãe” representa, a base de nossa existência. Por mais que pareça clichê, não deixe passar este dia em branco. Ofereça o tudo que é você para ela, o seu filho (a) querido com todo seu calor, amor e carinho, naquela deliciosa e numerosa reunião de domingo, nada mais é necessário.

FELIZ DIA DAS MÃES!

 

Nilber Ferreira

 

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: