TV Brasil apresenta especial “Festival de Brasília – 50 x Cinema” neste sábado (23)

Produção traça um panorama histórico do evento e destaca acontecimentos desta edição

 

Foto: Divulgação

Um dos mais importantes eventos audiovisuais do país, o Festival de Brasília do Cinema Brasileiro chega em 2017 à sua 50ª edição e homenageia o cineasta Nelson Pereira dos Santos, diretor de longas como “Vidas Secas” (1963), “O Amuleto de Ogum” (1974) e “Memórias do Cárcere” (1984).

O festival, criado em 1965 e interrompido entre 1972 e 1974 por pressão da Ditadura Militar, já premiou com o prestigiado Troféu Candango produções como “Xica da Silva” (1976), “A Hora da Estrela” (1985) e “Baile Perfumado” (1996).

Para celebrar a história do evento e mostrar os acontecimentos que marcam a edição deste ano, a TV Brasil exibe neste sábado (23), às 22h30, o programa Festival de Brasília – 50 x Cinema. A atração é apresentada pela jornalista Priscila Rangel e traz depoimentos de cineastas como os irmãos Walter e Vladimir Carvalho, Suzana Amaral, Cacá Diegues e Anna Muylaert, além de atores como Matheus Nachtergaele e Júlia Lemmertz.

Nos dias anteriores à exibição do especial, a emissora pública antecipa curiosidades sobre o Festival de Brasília com uma série de seis interprogramas que contam um pouco de cada década do evento. As produções de curta duração já estão no ar nos intervalos da programação da TV Brasil.

As peças resgatam os principais momentos do cinema brasileiro, atrelando sempre à própria história do festival. Cada peças é dedicada a uma das décadas do evento e traz um filme ganhador do Troféu Candango daquele período.

O impacto do Regime Militar, o movimento do Cinema Novo, o surgimento e o fim da Embrafilme, a retomada do cinema nacional e o nascimento da Ancine são alguns dos episódios históricos lembrados.

Ao combinar essa perspectiva histórica com uma abordagem factual, o especial “Festival de Brasília – 50 x Cinema” aborda ainda a efervescência desta edição, mostra os filmes que concorrem na Mostra Competitiva e as novidades do evento em 2017.

 

Sobre os interprogramas

 

– A Hora e a Vez de Augusto Matraga – 1965

O ambiente em que se deu o surgimento do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro é abordado no programete. Wladimir Carvalho e Walter Carvalho analisam o contexto desse momento.

 

– Xica da Silva – 1976

O interprograma aborda o período em que o Festival foi suspenso, retomado e sobre o surgimento da Embrafilme. Os irmãos Wladimir e Walter Carvalho recordam acontecimentos dessa fase da sétima arte no país.

 

– A Hora da Estrela – 1985

A presença das mulheres no Festival de Brasília é o tema da peça. Primeira mulher a dirigir um filme ganhador do Troféu Candango, a cineasta Suzana Amaral é entrevistada nesse programete.

 

– Baile Perfumado – 1996

O interprograma destaca a retomada do cinema brasileiro e a força do cinema pernambucano nessa etapa da história do audiovisual no país. O diretor Lírio Ferreira é quem comenta sobre essa época.

 

– Peões (1999) e Santo Forte (2004)

O cinema documental brasileiro e a importância de Eduardo Coutinho são os assuntos abordados nesse interprograma. Orlando Senna e Walter Carvalho destrincham a questão. Eles falam sobre as obras documentáis que ajudaram a refletir sobre o país e influenciaram as produções ficcionais.

 

– Branco Sai, Preto Fica (2014)

A peça trata do cinema digital e da maior democratização na produção de filmes. O cineasta Adirley Queirós fala as facilidades de produção e as dificuldades na distribuição. Cinema digital, a volta das grandes bilheterias e o surgimento de um órgão fomentador e regulador do mercado também ganham espaço.

 

Serviço:

Festival de Brasília – 50 x Cinema – sábado, dia 23 de setembro, às 22h30, na TV Brasil

 

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: