SBPRJ exibe ‘Hiroshima, Meu Amor’ e debate ‘Morte e Vida’

Foto: Divulgação

A Sociedade Brasileira de Psicanálise do Rio de Janeiro exibe, no dia 22 de setembro, às 19h, ‘Hiroshima, Meu Amor’, primeiro longa-metragem do cineasta francês Alain Resnais e uma das obras mais importantes da história do cinema. É o primeiro de dois encontros do projeto Psicanálise & Cinema para discutir sobre ‘Morte e Vida’, tema do congresso da Federação Brasileira de Psicanálise (Febrapsi) este ano. O filme, de 1959, aborda o affair entre uma atriz francesa e um arquiteto japonês, em Hiroshima, pouco mais de uma década depois de a bomba atômica ter sido jogada sobre a cidade. 

O roteiro, de grande voltagem poética, é da escritora francesa Margueritte Duras e tem como protagonista uma mulher casada que viajou de Paris para trabalhar em um filme sobre a paz em Hiroshima. O encontro amoroso se dá quando a mulher do arquiteto, também casado, está viajando. Nos dois dias em que passam juntos, várias lembranças vêm à tona enquanto esperam, de forma aflita, a hora de partida da atriz.

A protagonista relembra episódios de sua juventude em torno de um relacionamento impossível para a época da ocupação nazista na França. Agora, 14 anos depois, tem a experiência de se deparar novamente com um amor quase impossível que a faz reviver um passado doloroso.

Após a exibição, haverá um debate com Maria Eleonora Nascimento Silva, também psicanalista da SBPRJ, e Luiz Fernando Gallego. O coordenador do projeto convida à reflexão: “Depois de tantas mortes durante a II Guerra, a vida continuou para essas duas pessoas tão distantes e com experiências de vida tão diversas. Tão diversas de fato?”, diz Gallego. “Quando programamos o debate sobre este filme, jamais imaginaríamos que o mundo estaria discutindo novamente o uso de armas nucleares”, acrescenta.

Foto: Divulgação

A personagem principal é interpretada por Emmanuelle Riva, que morreu aos 89 anos em janeiro deste ano e que havia voltado a ter grande destaque em 2012, já idosa, por sua participação em ‘Amor’, de Michael Haneke. 

Filmado na França e no Japão, ‘Hiroshima, Meu Amor’ ganhou o Prêmio Nações Unidas no BAFTA (o ‘oscar’ britânico), sendo indicado ainda nas categorias de melhor filme e de melhor atriz estrangeira (Emmanuelle Riva). Também foi indicado ao Oscar de Melhor Roteiro Original e ao prêmio Palma de Ouro no Festival de Cannes, além de ter sido incluído no livro ‘1001 Filmes para Ver Antes de Morrer’, de Steven Schneider. 

 

As inscrições devem ser feitas antecipadamente através dos telefones (21) 2537-1333 ou 2537-1115 ou pelo e-mail sbprj@sbprj.org.br. A taxa de manutenção é de dez reais. A classificação etária é 12 anos e o filme tem duração de 90 minutos. A SBPRJ fica na Rua David Campista, 80, Humaitá, Zona Sul do Rio

 

Próximas sessões: Outro filme será debatido por Psicanálise & Cinema, na SBPRJ, para contemplar o tema ‘Morte e Vida’. A atração no dia 27 de outubro será ‘A Liberdade é Azul’ (1993), de Krzysztof Kieslowski, com Juliette Binoche.

 

 

PSICANÁLISE & CINEMA – HIROSHIMA, MEU AMOR (1959) 

Inscrições: sbprj@sbprj.org.br ou (21) 2537-1333 e 2537-1115 

Endereço: Rua David Campista, 80, Humaitá 

Data e horário: 22/09/17, às 19h 

Taxa de manutenção: R$10,00

Duração do filme: 90 minutos 

Classificação: 12 anos 

Debatedores: Maria Eleonora Nascimento Silva e Luiz Fernando Gallego, psicanalistas da SBPRJ

Coordenação: Luiz Fernando Gallego, psicanalista, membro da SBPRJ. Também é membro da Associação de Críticos de Cinema do RJ

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: